Governo aguarda ThyssenKrupp para decidir sobre chineses

O Ministério do Trabalho ainda aguarda o pedido formal da siderúrgica alemã ThyssenKrupp CSA para contratação de 600 trabalhadores chineses, a maioria engenheiros, para a instalação de uma nova usina no Rio de Janeiro. Segundo a assessoria do ministério, somente após a contratação será analisado se o projeto precisará de um número tão alto de profissionais estrangeiros. A expectativa no governo é de que a formalização do pedido de vistos ocorra até maio deste ano.A diretoria da Thyssen, detentora de 90% do projeto de construção da Cia. Siderúrgica do Atlântico (CSA), no Rio, contatou a embaixada do Brasil em Pequim para comunicar a negociação com a estatal chinesa Citic, parceira na operação. Mas, segundo o Itamaraty, isso não significa que a vinda dos trabalhadores já esteja aprovada.Antes da validação dos vistos pelo Itamaraty, terá de haver autorização do Conselho Nacional de Imigração, formado por nove ministérios, sindicatos e federações empresariais e ligado ao Ministério do Trabalho. Para trabalhar no Brasil, estrangeiros devem receber vistos de trabalho temporários, com validade de até dois anos.Em nota, a CSA informou que o complexo siderúrgico em Sepetiba (RJ) empregará, quando entrar em operação, mais de 3 mil pessoas. Durante a construção, que terminará em 2009, trabalharão nas obras cerca de 18 mil profissionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.