Grécia pesa sobre ADRs, mas Brazil Titans sobe 0,45%

Índice de ADRs do Bank of New York Index subiu 0,02%, para 137,02 pontos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

20 de junho de 2011 | 18h51

Os recibos de ações de empresas estrangeiras negociados em Nova York fecharam perto da estabilidade, em meio a preocupações com a situação incerta da Grécia. A exceção foram os ADRs de empresas latino-americanas e brasileiras, que conseguiram registrar um leve ganho.

O índice de ADRs do Bank of New York Index subiu 0,02%, para 137,02 pontos. O índice europeu perdeu 0,1%, para 127,16 pontos, enquanto o da Ásia fechou em alta de 0,03%, a 131,27 pontos. O da América Latina subiu 0,3%, para 391,39 pontos.

O Dow Jones Brazil Titans 20 ganhou 0,45%, ou 154,56 pontos, e encerrou o dia a 34.337,81 pontos. Entre os componentes de maior peso do índice, os recibos ON da Petrobrás recuaram 1,22%, enquanto os PN tiveram queda de 0,98%. No caso da Vale, os ADRs ON subiram 1,11% e os PN avançaram 1,15%.

O Instituto Aço Brasil (IABr) divulgou hoje que a produção brasileira de aço bruto atingiu em maio 3,3 milhões de toneladas, o que corresponde a uma alta de 14,7% frente ao mesmo período do ano passado. Os ADRs de siderúrgicas, no entanto, fecharam em baixa. CSN perdeu 0,33% e Gerdau recuou 0,30%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ADRsGréciarecibos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.