Grupo quer investir US$ 4,2 bi no País em álcool combustível

A Sempra Energy, uma das maiores empresas de gás dos Estados Unidos, vai produzir álcool combustível no Brasil. Há uma semana, um executivo da Sempra esteve em Palmas, em Tocantins, para assinar o memorando de entendimento de um projeto bilionário no País.O documento prevê investimentos de pelo menos US$ 4,2 bilhões e a construção de 12 destilarias de álcool em Tocantins. Os investimentos serão feitos por meio de uma nova companhia, a Etanalc, do empresário Áureo Luiz de Castro, especializado em empreendimentos imobiliários do Rio de Janeiro.Os planos envolvem ainda a MAN Ferrostaal, companhia alemã voltada à construção de fábricas, e um grupo usineiro de São Paulo. O ex-presidente da Petrobras Joel Rennó faz parte do conselho consultivo da empresa.O projeto pode ir além do que foi acertado essa semana em Tocantins. Segundo Áureo de Castro, os investimentos podem chegar a US$ 8,4 bilhões, com a construção de 24 destilarias. Um contrato com a Sempra garantiria que toda a produção seria exportada, com faturamento previsto de US$ 53 bilhões em 20 anos. A Etanalc se tornaria o maior grupo produtor e exportador de álcool do País.Segundo Castro, já está definido que os 12 primeiros complexos serão instalados em Tocantins, onde a Etanalc possui 700 mil hectares de terras arrendadas prontas para receber as primeiras mudas de cana-de-açúcar, cujo plantio deve ocorrer nas próximas semanas. "Cada complexo terá uma destilaria de álcool e uma termelétrica tocada com bagaço de cana."Outros 800 mil hectares foram arrendados no Maranhão, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, mas ainda dependem da definição das outras 12 usinas.GarantiaO secretário de Agricultura do Estado, Roberto Sahium, disse que o Tocantins deve entrar no projeto com a parte de logística. "Queremos incrementar a geração de empregos na região", disse. Cada usina poderá gerar 2,5 mil empregos diretos.A Etanalc vai administrar as destilarias e entregar o álcool para a Sempra no porto de Itaqui, no Maranhão, como prevê protocolo de intenção.O documento estabelece a garantia de entrega e de compra de 240 mil metros cúbicos de álcool por destilaria por um período de 20 anos e marca a entrada da Sempra no mercado do etanol produzido pela cana-de-açúcar, além da possibilidade de exploração de outras oportunidades com biodiesel.As primeiras entregas estão previstas a partir de 2010; o álcool deverá ir possivelmente para os EUA e Japão. Com as 24 usinas em funcionamento, o grupo estaria produzindo 5,7 bilhões de litros por safra - mais de um quinto da produção total do Brasil estimada para 2010, que é de 25 bilhões de litros. "Os valores são altos, mas possíveis", diz Castro. A produção atual de álcool brasileira é de 17 bilhões de litros por safra.A Man Ferrostaal ficará responsável pela entrega das usinas, "totalmente concluídas, com chaves na mão", em três anos. A expectativa é que o contrato definitivo para início da construção das primeiras unidades seja assinado até abril.De acordo com Castro, cada destilaria deverá fabricar 270 mil metros cúbicos de álcool (270 milhões de litros) e triturar 3,5 milhões de toneladas de cana de açúcar por safra. Já as termelétricas devem gerar 59 Megawatts (MW), sendo 9 MW para manter funcionamento de cada complexo, negociando os outros 50 MW.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.