GRV Solutions quer abrir capital, com oferta mista de ações

Operação prevê esforços de venda no exterior e oferta destinada ao varejo, com aplicação mínima de R$ 3 mil e máxima de R$ 300 mil

Altamiro Silva Júnior,

18 de fevereiro de 2010 | 10h09

A GRV Solutions, empresa focada em produtos para gestão de crédito e rastreamento de veículos, pretende abrir o capital e fazer ofertas primária e secundária de ações. A empresa entrou com pedido de análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para fazer a oferta pública de ações ordinárias (ON) e pretende manter a base acionária dispersa. Dispositivos de proteção à dispersão acionária são popularmente conhecidos no mercado de capitais como poison pill.

 

A intenção da GRV é entrar no Novo Mercado da Bovespa. A operação prevê esforços de venda no exterior e oferta destinada ao varejo, com aplicação mínima de R$ 3 mil e máxima de R$ 300 mil.

 

Entre os fatores de risco, a companhia cita, no prospecto preliminar da oferta, que o estatuto social "contém disposições que podem dissuadir nossa aquisição por terceiros e dificultar ou atrasar operações que poderiam ser do interesse dos investidores". Um desses dispositivos diz que qualquer investidor que venha a ter mais de 15% das ações emitidas pela GRV é obrigado a fazer um oferta para adquirir o restante das ações em circulação no prazo máximo de 60 dias.

 

Os recursos captados com a emissão de novas ações serão destinados, segundo a GRV, para aquisições no mercado. Para isso, pretende reservar 50% do total. O restante será usado para financiar a compra da Sascar, empresa de monitoramento e localização de veículos, feita pela GRV no fim do ano passado.

 

Haverá também uma oferta secundária, com a venda de ações em poder dos sócios. Entre eles, João Carlos Ribeiro, principal acionista da empresa, com 49,08% do capital total da companhia. O prospecto não informa o porcentual que cada um vai vender. O coordenador líder é o JP Morgan.

 

As datas para a fixação do preço de venda das ações e para o pedido de reserva dos investidores não foram divulgadas. A empresa também não informou quanto pretende captar com a venda das ações.

 

A GRV tem produtos para a gestão do crédito desde a análise e concessão do empréstimo até a cobrança. Entre seus clientes estão seguradoras, financeiras, transportadoras e concessionárias de veículos. Ainda de acordo com o prospecto, a empresa atua há 12 anos na prestação desses serviços e prepara agora entrada no segmento imobiliário. O balanço

consolidado pro forma da GRV e da Sascar registra lucro líquido de R$ 97,2 milhões em 2009 e Ebitda de R$ 126 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
GRV SolutionsCVM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.