Há expectativa de operação externa

A redução do volume de contratos de swap cambial reverso, o instrumento que está segurando a queda do preço do dólar, fez crescer a expectativa de uma operação orquestrada pelo Tesouro para recompra de papéis da dívida externa. Se confirmado, analistas esperam que o Banco Central elabore uma ampla estratégia para que o dólar não caia ainda mais. O anúncio eventual de uma operação de compra dos papéis da dívida externa daria margem para o governo atuar, eventualmente, no mercado de câmbio à vista, dando suporte para o real ante o dólar, na medida em que precisaria comprar dólares para pagar os papéis externos. Além da compra pura e direta de papéis, há possibilidade de uma operação de troca de títulos. "O governo poderia fazer uma operação mista com recompra e troca por um bônus mais longo, alongando o perfil da dívida", comentou o diretor da corretora Arkhe, Felipe Brandão. O País poderia comprar os papéis mais curtos, com vencimento em 2007 e 2008, antecipando o desencaixe financeiro previsto para os próximos anos. Outra alternativa envolveria os estigmatizados Bradies, como já ocorreu com o C-Bond. O calendário ajuda a alavancar esses rumores. Parte dos bradies têm uma opção de compra (call) que permite ao governo resgatar pelo valor de face do título . Para exercer essa call, o governo teria de anunciar a operação no prazo entre 2 meses e 1 mês antes das datas de pagamento dos juros. Vários papéis, como o Par, Discount e EI Bond, Flirb, New Money Bond têm amortizações em 15 de abril. Se resolver exercer a call, o governo terá de anunciar a operação entre 15 de fevereiro e 15 de março. "A exemplo do que ocorreu com o C-bond, o Tesouro poderia estruturar uma troca por títulos mais longos, ao mesmo tempo em que reduz o estoque da dívida", diz o diretor de mercados emergentes da corretora López León, Luiz Forbes.

Agencia Estado,

26 de janeiro de 2006 | 10h00

Tudo o que sabemos sobre:
câmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.