Hardinge rejeita oferta hostil feita pela Indústrias Romi

O conselho de diretores da norte-americana Hardinge, empresa de máquinas-ferramenta, rejeitou a oferta hostil feita pela brasileira Indústrias Romi, que pretendia adquirir as ações em circulação da companhia por US$ 8 cada uma. Em comunicado, a Hardinge afirmou que o conselho considerou a proposta "grosseiramente inadequada, oportunista e fora dos interesses da Hardinge e seus acionistas".

Danielle Chaves, da Agência Estado,

18 de fevereiro de 2010 | 15h25

 

A Romi, fabricante nacional de máquinas e equipamentos, fez a oferta hostil em 4 de fevereiro. De acordo com a empresa brasileira, a oferta representava um prêmio de 46% em relação ao fechamento da ação da Hardinge em 3 de fevereiro - o último dia de negociação antes da divulgação pública da oferta. O valor total da Hardinge, segundo a oferta, era de US$ 92 milhões.

 

Em comunicado separado, a Hardinge informou que teve receita líquida de US$ 214,1 milhões no ano passado, uma queda de 38% em comparação com o ano anterior. O prejuízo da companhia em 2009 foi de US$ 33,3 milhões, menor que o de US$ 34,3 milhões de 2008. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
HardingeIndústrias Romi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.