HK avança 0,32%, estimulada pelo setor imobiliário

A Bolsa de Hong Kong encerrou o pregão de hoje com o índice Hang Seng apontando alta de 0,32%, empurrado pelas ações do setor imobiliário. A Bolsa de Taipé, em Taiwan, fechou em alta, motivada por uma correção técnica e possivelmente pelo apoio de fundos do governo. Sob a liderança das ações do setor financeiro e das empresas de tecnologia, o índice Taiwan Weighted ganhou 1,3%. Muitos investidores ficaram à margem do pregão, aguardando os desdobramentos da crise política em torno do presidente Chen Shui-bian, envolvido em denúncias de corrupção. A oposição planeja para hoje à noite uma marcha de protesto em direção ao palácio presidencial, mas a grande preocupação do mercado é com a possível convocação de uma greve geral. O mercado acionário da China terminou a sexta-feira em alta, puxado pelas ações de empresas que estrearam recentemente na Bolsa de Xangai e pelos papéis das empresas de aviação. O índice Xangai Composto atingiu elevação de 1,9% e o Shenzhen Composto subiu 1,4%. Bank of China teve alta de 3,6% e a Daqin Railway ganhou 5,9%. As ações das companhias aéreas foram impulsionadas pela expectativa de que as reuniões do Banco Mundial e do FMI, neste final de semana em Cingapura, aumentem a pressão sobre o governo chinês para uma valorização do yuan. Air China disparou uma alta de 10%; China Southern Airlines teve ganho de 6,3%. No mercado de câmbio, a cotação do yuan recuou frente ao dólar, com as especulações sobre uma possível ampliação da banda cambial, atualmente em 0,3% ao dia. A moeda norte-americana fechou a 7,9545 yuans no sistema automático de preços, contra 7,9455 ontem. Na Coréia do Sul, a Bolsa de Seul encerrou com leve alta, impulsionada pelo setor automobilístico e pelas ações de corretoras. O índice Kospi avançou 0,02%. A bolsa australiana fechou em queda, com o índice S&P/ASX 200 apontando perda de 0,7%. O baixo preço das commodities e a expectativa quanto aos índices a serem divulgados hoje nos EUA pressionaram o mercado local. BHP Billiton recuou 2,3% e Rio Tinto registrou declínio de 1,5%. Nas Filipinas, a Bolsa de Manila fechou em alta pelo terceiro pregão consecutivo, animada com a situação fiscal do governo. O índice PSE Composto subiu 1,2%. O secretário de Finanças do país, Margarito Teves, revelou que o governo pode reduzir o teto do déficit fiscal estipulado para este ano, devido ao desempenho da arrecadação de impostos em setembro, que ficou acima da meta. As ações da Philippine Long Distance Telephone tiveram ganho de 2,9%. O índice composto de 100 blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur (Malásia) avançou 0,20%. Na Bolsa de Cingapura, o Strait Times teve alta de 0,12%. O índice JSX Composto, da Bolsa de Jacarta (Indonésia), fechou com ganho de 0,30%. (As informações são da Dow Jones)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.