HK sobe 0,23% com expectativas sobre China Mobile

A Bolsa de Hong Kong fechou hoje com ligeira alta de 0,23%, em razão da perspectiva de bons resultados da China Mobile. A compra de papéis da empresa superou a realização de lucros da Bolsa. O Hang Seng encerrou em território positivo também em razão da expectativa de resultados do HSBC, que serão divulgados na segunda-feira. O mercado chinês registrou queda com a decisão de investidores institucionais de vender ações de empresas altamente capitalizadas, temendo as conseqüências das medidas tomadas pelo governo sobre o crédito. O Xangai Composto caiu 0,8% e o Shenzhen Composto teve baixa de 1,1%. O yuan subiu e no fim do dia o dólar caía para 7,9712 no sistema automático de preços, de 7,9758 de quinta-feira. O Taiwan Weighted fechou hoje em ligeira alta de 0,3%, com ganhos em papéis de empresas relacionadas ao setor de construção civil e de eletrônicos. Goldsun Development & Construction subiu 6,2%. Em Seul, o Kospi encerrou a sexta-feira praticamente estável, com ligeira alta de 0,1%. A realização de lucros de papéis do setor automotivo quase empatou os ganhos obtidos na primeira parte do pregão. O índice PSE Composto, a Bolsa de Manila, caiu 0,3% depois de ter registrado alta de 4,2% nos últimos três pregões. Os papéis da Ayala Land, que tiveram perdas de 3,6%, lideraram a baixa. Já as ações da Philippine Long Distance Co., as mais negociadas do dia, subiram 0,3% depois que seus ADRs registraram aumento de 3,8% ontem. Na Bolsa australiana, o índice S&P/ASX 200 caiu 1%, depois de ter registrado alta ontem, quando houve vencimento de contratos de opções. A Bolsa de Kuala Lumpur teve queda de 0,2% do índice composto das 100 principais ações, por conta da espera da decisão do banco central malásio sobre a taxa de juro. O mercado espera alta de 0,25 ponto porcentual sobre a atual taxa de 3,5% ao ano. O Strait Times, da bolsa de Cingapura, fechou em baixa de 0,62% e o JSX Composto, da bolsa de Jacarta (Indonésia), encerrou em alta de 0,51%. (As informações são da Dow Jones).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.