HK sobe 1,2%; Xangai fecha com queda de 3,7%

A recuperação no preço das ações chinesas, impulsionadas pelo recorde de pontos alcançado ontem pelo índice Dow Jones da Bolsa de Nova York, levou o índice Hang Seng da Bolsa de Hong Kong a fechar com alta de 1,2%, aos 19.613,41 pontos. Os operadores, porém, acreditam que a valorização dos papéis não deve se sustentar. Os ganhos foram liderados pela China Mobile, que subiu 1,9%. As ações do HSBC avançaram 0,3%. Swire Pacific teve alta de 1,8%, após detalhar seu plano de investimentos. China Life ganhou 4,6% e Banco Industrial e Comercial da China (ICBC, na sigla em inglês) subiu 1,3%. A Bolsa da China acelerou suas perdas nesta sexta-feira, em meio ao receio do mercado com a supervalorização das blue chips após altas recentes. O índice Xangai Composto caiu 3,7%, maior baixa desde 13 de julho do ano passado. O índice Shenzhen Composto declinou 2%. Os analistas esperam mais perdas conforme as ações de empresas menores acompanhem a retração. Entre as maiores baixas, China Petroleum & Chemical (maior refinaria da Ásia) desabou 7,3%, Shanghai International Port caiu 7,2% e China Yangtze Power recuou 6%. ICBC baixou 3,3% e Banco da China (BOC) declinou 4,1%. A alta do dólar nos mercados internacionais levou o yuan a se desvalorizar frente à moeda norte-americana. No sistema automático de preços, às 5h30 (hora de Brasília) o dólar valia 7,7975 yuans, contra 7,7935 yuans no fechamento de ontem. Depois de dois dias de queda, a Bolsa de Taipé, em Taiwan, fechou em alta, puxada pelos setores de alimentos, papel e tecnologia. O índice Taiwan Weighted subiu 1,9%. Os operadores apontaram possíveis compras efetuadas por fundos governamentais e também uma recuperação técnica do índice, que havia caído acentuadamente nas últimas sessões. TSMC teve alta de 5%, UMC registrou elevação de 3,9%, Chunghwa Telecom e Uni-President Enterprises avançaram 1,5%. O índice Kospi, da Bolsa de Seul, na Coréia do Sul, chegou ao fim do pregão marcando alta de 1,7%, impulsionado pela demanda por ações baratas e também pelos papéis da Samsung Electronics, que divulgou seus resultados do quarto trimestre. A empresa anunciou ainda um plano de recompra de ações. A siderúrgica Posco atingiu valorização de 3,8%. Além de um lucro líquido acima do esperado no quarto trimestre, a empresa também anunciou a recompra de ações e a intenção de pagar dividendos mais elevados. Os papéis do Korea Exchange Bank tiveram alta de 5,4% com os boatos de que o banco pode ser adquirido pelo DBS Group Holdings Ltd., de Cingapura. Na Austrália, a Bolsa de Sydney refletiu o desempenho positivo dos mercados internacionais, em meio à expectativa de crescimento econômico global. O índice S&P/ASX 200 terminou com alta de 1,3%. Destacaram-se as ações do grupo Lend Lease, cuja subsidiária do ramo de construção civil Bovis Lend Lease ganhou um contrato milionário do Departamento de Defesa britânico. As ações do grupo se valorizaram em 2,6%. Os papéis da mineradora Bendigo dispararam 14,8% depois de a empresa vender uma participação de 10% para a Santa Bárbara. BHP Billiton avançou 2% e Woodside Petroleum ganhou 1,7%. Na Bolsa de Manila, nas Filipinas, o índice PSE Composto encerrou com um avanço de 1,8%. Os investidores procuraram tirar vantagem da baixa do mercado nas duas sessões anteriores e se concentraram nas ações com boas perspectivas de valorização. PNOC-Energy Development registrou alta de 5,4%, Ayala Land subiu 1,6% e Philippine Long Distance Telephone (PLDT) avançou 1,7%. Na Indonésia, o índice JSX Composto da Bolsa de Jacarta fechou em queda de 1,5%. O principal motivo foram as vendas dos papéis da Gas Negara, que fizeram o preço da ação cair 23%, dadas as previsões de que seus lucros diminuirão devido à queda no volume de venda de gás. Segundo analistas, as vendas da Negara inspiraram descartes de posições de outras blue chips. Porém, para esses analistas, as expectativas quanto ao desempenho da economia em 2007 continuam positivas. A procura por papéis com bons preços fez a fabricante de bens de consumo Unilever subir 6,9%; a mineradora de níquel Inco ganhou 3%, evitando queda maior do índice. Na Malásia, o índice composto de 100 blue chips fechou em alta de 1,2% e, em Cingapura, o índice Strait Times encerrou a sessão com valorização de 1,33%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.