HSBC paga US$ 155 milhões por banco argentino

O banco inglês HSBC confirmou ontem a compra do Banca Nazionale del Lavoro (BNL) da Argentina, por US$ 155 milhões, que tem uma rede de 91 agências e uma forte penetração nos segmentos de pessoa física e pequenas empresas no país. "Para ser um dos líderes do mercado, que é o que queremos, temos que ampliar nossa rede de distribuição, ganhando escala para melhorar a eficiência operacional", afirmou Antonio Losada, presidente do HSBC na Argentina, ao jornal El Cronista. Com a operação, o HSBC sobe do nono para o sétimo lugar no ranking por créditos de entidades do sistema e do décimo para o sétimo em depósitos. Com a fusão dos dois bancos, a nova instituição terá 1,5 milhão de clientes individuais, mais de 6,3 bilhões de pesos (cerca de US$ 2,058 bilhões) em depósitos e será o terceiro emissor de cartões de créditos do país. Somando as agências das duas entidades, serão 147 ao todo. Porém, de acordo com Losada, o número final será de 120 agências. Os 1.800 funcionários atuais do BNL seriam absorvidos pelo HSBC, no processo de expansão de negócios, segundo Losada. Os US$ 155 milhões que foram pagos já foram repatriados. "O HSBC tem capitalizados mais de US$ 600 milhões, o montante mais alto de capitalizações do sistema financeiro. É um dado que mostra claramente o compromisso do banco com o país", afirmou Losada. Segundo o comunicado divulgado pela entidade ontem à tarde, a operação está sujeita à aprovação regulatória e deverá estar concluída durante o primeiro trimestre deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.