IBGE: empresas investiram R$ 22,1 bi em controle ambiental em 2002

O investimento em controle ambiental das empresas industriais brasileiras passou de R$ 10,5 bilhões em 1997 para R$ 22,1 bilhões, em 2002, com crescimento real (descontada a inflação) de 83,9% no período, segundo divulgou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 1997, 3.823 empresas investiram em controle ambiental, número que subiu para 6.691 em 2002 - um aumento de 75,0%, bem superior ao crescimento do total de empresas no mesmo período (26,4%).Em 1997, segundo o documento de divulgação da pesquisa, havia uma "alta concentração" dos investimentos em controle ambiental nos setores de alimentos e bebidas e, em 2002, a maior concentração passou para as divisões de fabricação de coque, refino de petróleo, elaboração de combustíveis nucleares e produção de álcool.Para a elaboração da pesquisa foram consideradas as iniciativas em aquisição de máquinas industriais que já incorporam a concepção de tecnologia limpa, a aquisição de equipamentos, as obras com estação de tratamento e os gastos necessários para colocar esses itens em funcionamento. Não foram considerados gastos com recuperação de áreas degradadas.Ainda de acordo com a pesquisa, a participação do valor investido em controle ambiental no conjunto das empresas que informaram esse tipo de investimento aumentou de 13,9%, em 1997, para 18,7%, em 2002, puxado pela indústria de transformação, que aumentou em 92,6% o valor dos investimentos em controle ambiental no período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.