Ibovespa abre em alta de 0,10%, a 35.809 pontos

O índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em alta de 0,1%, aos 35.809 pontos, e apresentou ligeira aceleração em poucos minutos de negócios. Às 10h10, o indicador apresentava ganho de 0,17%, aos 35.834 pontos. Segundo analistas, a Bovespa deve continuar na dependência de dois fatores-chave: o acompanhamento tradicional das bolsas norte-americanas e o comportamento dos preços das commodities. O índice futuro abriu em baixa, mas neutralizou as perdas no momento de abertura do mercado à vista. Na Europa, o humor está um pouco melhor nesta manhã, com as bolsas registrando altas ainda que modestas. Em NY, os futuros estão indefinidos, próximos à estabilidade. Ontem, o mercado norte-americano conseguiu fechar em leve alta após amargar perdas na primeira parte do dia. No Brasil, a Bovespa não conseguiu se recuperar e caiu 2,15% (35.772 pontos). Com esse resultado, a bolsa passou a acumular baixa de 1,27% em setembro e alta de 6,92% em 2006. Sobre as commodities, a dúvida é saber se a queda verificada desde sexta-feira é apenas um ajuste pontual ou realmente uma reversão de tendência de um comportamento altista verificado nos últimos quatro anos. As ações das mineradoras e petrolíferas, que ontem caíram com força nos EUA e na Europa, ensaiam recuperação esta manhã. O preço do petróleo futuro de outubro, no entanto, operava em baixa nos Estados Unidos, com perda de 0,73%, a US$ 65,13. Ainda que a commodity esteja em queda, um operador consultado acredita que dificilmente o barril vai cair abaixo de US$ 65, pelo menos no curto prazo. "O petróleo já caiu bastante e deve ficar por aí", observou. Um ataque frustrado à embaixada dos EUA em Damasco, na Síria, pressionou apenas momentaneamente os preços.

Agencia Estado,

12 de setembro de 2006 | 10h13

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.