Ibovespa abre em alta de 0,19%, a 38.480 pontos

O preço do barril de petróleo e commodities metálicas devem continuar comandando os negócios na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), em mais um dia de agenda doméstica fraca. Após o índice Bovespa ter tido ontem um dia bastante positivo - fechou em alta de 1,23%, na marca de 38.406 pontos - os primeiros negócios foram realizados hoje com o indicador na marca dos 38.480 pontos, com alta de 0,19%. Sem qualquer confirmação oficial de corte na produção da Opep, os contratos futuros de petróleo voltaram a cair e são negociados novamente abaixo de US$ 60 o barril. Nesta manhã, um ministro da Opep disse, sem identificar-se, que o cartel irá cortar 1 milhão de barris ao dia e que detalhes da implementação da medida estão em discussão. Nas bolsas norte-americanas e européias o otimismo continua, com investidores praticamente deixando em segundo plano as preocupações com o teste nuclear anunciado na véspera pela Coréia do Norte. Os índices futuros em Wall Street operam em alta, depois de o Nasdaq ter fechado ontem na melhor pontuação em cinco meses. Analistas receberam com satisfação a notícia da entrada de R$ 223,569 milhões de capital estrangeiro no pregão de 5 de outubro, quando o Ibovespa avançou 0,6%, para 37.976 pontos, com R$ 2,66 bilhões negociados. Essa entrada forte, na verdade, era esperada para o dia anterior, quarta-feira passada, quando a Bolsa disparou 3,6%. Mas o saldo líquido no dia 4 foi de apenas R$ 5,586 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.