Ibovespa abre em queda; queda do petróleo pressiona Petrobras

A Bolsa de Valores de São Paulo abriu em queda, com o índice Ibovespa à vista em 38.345 pontos (-0, 77%) às 10h13. A última semana antes da eleição presidencial em segundo turno começa com o mercado brasileiro de ações sinalizando viés negativo, influenciado pela indefinição em Wall Street e pelo declínio de mais de 1% nas cotações do petróleo, que pode manter as ações da Petrobras pressionadas. As ações da Petrobras também podem reagir à notícia do jornal Valor Econômico de que um emissário do governo boliviano esteve no Brasil, na quinta-feira, para entregar um ultimato ao gabinete do presidente Lula: a Petrobras sofrerá intervenção do governo Evo Morales na semana que vem, se não for aceito o acordo proposto pelos bolivianos para um novo contrato nas atividades de exploração de gás. Em termos patrimoniais, operadores afirmam que a perda não seria grande, mas não deixa de ser uma notícia negativa para a estatal. A Bovespa, que na semana passada chegou a fechar acima de 39 mil pontos, pode passar hoje por uma correção técnica, retrocedendo aos 37.800/37.900 pontos, sem "grandes traumas", segundo um especialista. Mais uma vez, o andamento dos negócios aqui vai depender do desempenho das bolsas norte-americanas, num dia em que o único destaque da agenda é a continuação da temporada de balanços trimestrais. Entre as empresas que divulgam resultado hoje estão Halliburton, Kimberly-Clark, Kraft Foods e Texas Instruments. Além dos balanços, os investidores em Nova York estão atentos à evolução do preço do petróleo, que era negociado a US$ 58,61 o barril na Nymex, em baixa de 1,20%, refletindo as dúvidas do mercado sobre a eficácia do corte de produção, de 1,2 milhão de barris ao dia, anunciado na semana passada pela Opep. No front interno, o mercado de ações deverá ficar por conta da ata da última reunião do Copom, que sai na quinta-feira, e das eleições presidenciais. Além das pesquisas de intenção de voto, estão marcados dois debates entre o candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva, e o tucano, Geraldo Alckmin. Hoje à noite, a TV Record promove um debate entre os dois. Na sexta-feira, está marcado o debate na TV Globo. A Bovespa deve repercutir, pontualmente, os balanços de empresas. Amanhã sai o resultado de Net e Embratel. Energias do Brasil e Natura, na quarta. Quinta é a vez de CPFL energia e Telemar. Na sexta, estão previstos os dados de American Banknote. Hoje, as ações da Brascan Residencial estréiam na Bovespa. Os papéis saíram a R$ 16,00, perto do topo da faixa sugerida, que era R$ 17,00, e o lote adicional, de 20%, já foi exercido. De acordo com informações do mercado, a demanda na operação teria sido de seis vezes. Dez por cento da colocação teria ficado com o varejo doméstico e os 90% restantes teriam ido para os estrangeiros, na maior parte (65%) norte-americanos. O institucional doméstico teria ficado de fora da operação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.