Ibovespa acompanha exterior e fecha em alta de 2,39%

Desempenho positivo das bolsas em Nova York, em reação ao relatório dos pedidos de auxílio-desemprego, ajudou a dar suporte para os ganhos do mercado acionário brasileiro 

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

06 de fevereiro de 2014 | 17h33

A Bovespa recuperou o nível dos 47 mil pontos nesta quinta-feira, 6, e terminou a sessão com valorização de mais de 2%, em um movimento de recuperação depois da queda observada nesta quarta-feira, 5. O desempenho positivo das bolsas em Nova York, em reação ao relatório melhor que o esperado dos pedidos de auxílio-desemprego, ajudou a dar suporte para os ganhos do mercado acionário brasileiro.

No fim do dia, o Ibovespa subiu 2,39%, para 47.738,09 pontos. Na máxima da sessão, o índice atingiu 48.034 pontos (+3,02%) e na mínima registrou 46.632 pontos (+0,02%). A bolsa acumula baixa de 7,32% no ano e sobe 0,21% no mês de fevereiro. O volume de negócios somou R$ 7,186 bilhões - o maior patamar desde 3 de janeiro.

Em Nova York, o índice Dow Jones subia 0,89%, o S&P 500 tinha alta de 0,94% e Nasdaq avançava 0,94%, por volta das 17h20. Os investidores receberam bem os números dos pedidos de auxílio-desemprego dos EUA, que recuaram para 331 mil, na semana passada. A expectativa dos analistas era de que as solicitações recuariam a 335 mil. O dado veio um dia antes da divulgação do relatório do mercado de trabalho dos EUA, que é bastante acompanhando pelo mercado.

As ações da Sabesp e da CSN lideram as altas da bolsa nesta quinta-feira. A Sabesp subiu 5,37%, favorecida pela previsão da agência de classificação de risco Fitch Ratings de que o programa de incentivo para redução do consumo de água proposto nesta semana irá gerar um impacto marginal na geração de caixa operacional. Já a CSN avançou 5,70% com notícias de que a Thyssen não venderá mais a CSA. Segundo reportagem publicada na imprensa nacional, a alemã teria anunciado oficialmente ao governador do Rio o cancelamento da venda da siderúrgica.

Entre as blue chips, as ações da Petrobras fecharam em alta, se recuperando da menor cotação desde 2008, registrada ontem devido ao adiamento, do dia 14 para o dia 25 de fevereiro, da divulgação dos resultados da companhia no quarto trimestre. Petrobras PN (+2,75%) e Petrobras ON (+2,62%).

A Vale também terminou dia com forte valorização, ajudada pela a expectativa de um balanço positivo referente ao quarto trimestre de 2013 e também pelo fato de o Morgan Stanley ter elevado, ontem, a recomendação para ação PNA da mineradora. O papel subiu 2,87% e o ON teve ganho de 2,27%.

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.