Ibovespa cai afetado por aversão a risco com crise na Ucrânia

Queda foi de 0,81% no dia, acumulando ganho de 1,95% no mês e perda de 0,21% no ano

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

25 de abril de 2014 | 17h45

A aversão ao risco devido às tensões geopolíticas na Europa levou a Bovespa a encerrar a sessão desta sexta-feira, 25, em queda. O Ibovespa caiu 0,81%, para 51.399,35 pontos. Na máxima, registrou 51.817 pontos (estável) e, na mínima, 51.019 pontos (-1,54%). No mês, acumula ganho de 1,95% e, no ano, queda de 0,21%. O giro financeiro totalizou R$ 5,334 bilhões, segundo dados preliminares.

Os desdobramentos da crise na Ucrânia ficaram no centro das atenção dos investidores, em um dia de poucos indicadores econômicos nos EUA. Autoridades dos Estados Unidos afirmaram que jatos russos sobrevoaram o espaço aéreo ucraniano algumas vezes ao longo das últimas 24 horas, em movimento qualificado por uma das fontes como provocação contínua do aumento das tensões na região. O presidente dos EUA, Barack Obama, participou de teleconferência hoje com outros líderes ocidentais para discutir a possibilidade de uma nova rodada de sanções contra a Rússia. Durante a madrugada, a Standard & Poor''s rebaixou o rating em moeda estrangeira da Rússia de BBB para BBB-, apenas um nível acima do grau especulativo.

A aversão ao risco desencadeada pela crise no leste Europeu pesou nas ações das blue chips Petrobras e Vale. Petrobras ON e Petrobras PN recuaram 1,11% e 0,62%, respectivamente. Vale ON recuou 1,53% e Vale PNA perdeu 2,31%. Os papéis do setor energético também terminaram a sessão com queda acentuada. Eletropaulo PN (-2,23%), Eletrobras ON (-2,79%), Energias do Brasil (-3,98%) e Light ON (-2,99%).

Do lado positivo, os destaques foram ALL ON (+4,86%), Kroton (+3,30%) e Tim ON (+4,23%). Segundo profissionais do mercado, os investidores trocaram papéis da Oi por ações da Tim, às vésperas do fechamento de preço na oferta de ações da Oi.

Na agenda doméstica foram anunciados o resultado das transações em conta corrente. O Banco Central disse que o déficit em transações correntes do País somou US$ 6,248 bilhões em março, resultado negativo menor que a mediana estimada após levantamento do AE Projeções, de -US$ 6,4 bilhões. Já os investimentos estrangeiros diretos (IED) somaram US$ 4,995 bilhões no mês passado, superando a mediana das estimativas coletadas, de US$ 3,5 bilhões.

Nos EUA, foi reportado um único indicador: o índice de confiança do consumidor nos EUA, medido pela Reuters/Universidade de Michigan, que subiu para 84,1 na leitura final de abril, de 80,0 em março. O dado veio melhor que a leitura preliminar, de 82,6 e acima da expectativa dos analistas, de 83,0. Com o resultado, o indicador atingiu seu maior nível desde julho de 2013. O Dow Jones recuou 0,85%, o S&P 500 perdeu 0,81% e o Nasdaq caiu 1,75%.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.