Ibovespa cai com pressão de movimentos técnicos

A pressão do movimento técnico voltado ao vencimento de opções, que ocorre na segunda-feira, sobre as ações da Petrobras contribuía para derrubar a Bolsa de Valores de São Paulo nesta tarde, segundo operadores. Às 16h47, o Ibovespa, principal índice do mercado, caía 0,3% em relação o fechamento de ontem e Petrobras recuava 1,52%. Segundo profissionais, o mercado estaria usando a notícia de que a Petrobras poderia reduzir os preços dos combustíveis para pressionar as opções e o mercado à vista. Apesar disso, a própria empresa negou a informação e analistas também não apostam na possibilidade. Em relatório de hoje, o Crédit Suisse disse que a medida é improvável e lembrou que as cotações do diesel e da gasolina estão alinhadas com as internacionais. Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) voltava a cair, após as altas de ontem e anteontem. Segundo fontes, as ações não conseguiam se sustentar em alta basicamente por dois fatores: câmbio e China. A queda do dólar pressiona cada vez mais as receitas da mineradora e a China vem indicando que tenderá a controlar suas importações de minério. Mas a força do país para conseguir seu intento vem sedo questionada, tanto pela Vale quanto por analistas. Para eles, a China precisa de minério para transformá-lo no aço que tem sustentado seu crescimento e, por isso, deverá se render às regras do mercado livre. As maiores altas do Ibovespa eram lideradas por Cemig e bancos. Nas principais quedas, além de Petrobras, figuravam siderúrgicas e Caemi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.