Ibovespa fecha em alta de 0,19%

Encerrando a sessão aos 47.380,24 pontos, bolsa teve a terceira alta consecutiva, o que não impediu que o desempenho semanal voltasse a ser negativo, em -1,70% 

Claudia Violante, da Agência Estado,

21 de fevereiro de 2014 | 17h53

A Bovespa teve um pregão bastante volátil, mas perdeu boa parte do fôlego na reta final dos negócios, com a inversão para baixo das bolsas norte-americanas. Os dados domésticos conhecidos nesta sexta-feira, 21, ficaram em segundo plano e as operações de curto prazo conduziram os negócios na sessão.

O Ibovespa terminou a sessão com alta de 0,19%, aos 47.380,24 pontos. Foi sua terceira sessão consecutiva de ganhos, o que não impediu que o desempenho semanal voltasse a ser negativo, em -1,70%. No mês, a Bolsa acumula perda de 0,54% e, no ano, de 8,01%. O giro financeiro totalizou R$ 5,565 bilhões.

Os indicadores domésticos conhecidos hoje não influenciaram os negócios com ações, comentaram profissionais consultados à tarde. "Nova York foi a principal referência, mas a grande verdade para a Bovespa é que falta dinheiro, falta tomador final", resumiu um analista.

Petrobras passou mais tempo em alta do que Vale, mas, no final, teve um fechamento mais fraco. Petrobras ON fechou em +0,30% e a PN, em queda de 0,07%. Vale ON subiu 0,26% e PNA, 0,07%.

No setor siderúrgico, Gerdau divulgou um crescimento forte no lucro, mas as ações caíram e lideraram as perdas do Ibovespa. Metalúrgica Gerdau PN, na liderança, caiu 3,29%, e Gerdau PN, atrás, caiu 3,13%. Em terceiro lugar, Braskem PNA teve baixa de 2,87%. Usiminas PNA, -2,35%, CSN ON, -1,14%.

A Gerdau teve lucro líquido de R$ 492 milhões no quarto trimestre de 2013, aumento de 244,1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Nos EUA, as bolsas operaram em boa parte da sessão em alta, ignorando os dados fracos conhecidos mais cedo, com os investidores reagindo a informes de empresas. No final da sessão aqui no Brasil, no entanto, os índices acionários lá viraram para baixo, reagindo a comentários do presidente do Federal Reserve Bank de Dallas, Richard Fisher.

A autoridade do Fed disse que é difícil "argumentar que há grande eficácia derivada da expansão adicional do balanço patrimonial do Fed". "É por isso que eu tenho sido um forte defensor de reduzir nossas compras de ativos em larga escala e vou continuar defendendo que o façamos". Fisher tem poder de voto no Fomc este ano.

No entanto, o Dow Jones voltou a operar há pouco no azul e subia 0,02%, enquanto o S&P avançava 0,03% e o Nasdaq, 0,10%.

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.