Ibovespa opera em alta de quase 1% nos primeiros negócios

O índice da Bolsa de Valores de São Paulo abriu em alta hoje. Nos primeiros negócios, o indicador apresentava 34.972 pontos. Às 10h16, a pontuação subia para 35.350, com ganho de 1,08%. As ações preferenciais da Petrobras subiam 1,04% e as preferenciais classe A da Vale do Rio Doce, 0,88%. Segundo analistas, a manhã promete ser agitada para a Bovespa com notícias corporativas e desempenho divergentes das commodities, mas analistas consultados pela Agência Estado mantêm expectativa otimista para o dia. Duas decisões do colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) devem repercutir no pregão desta terça-feira, uma sobre a consulta da Telemar e outra sobre a Arcelor Brasil. Por maioria, o colegiado da CVM entendeu que os acionistas titulares de ações preferenciais da Telemar e que também possuam ordinários poderão votar, ainda que as ON estejam impedidas de votar. Em relação a Arcelor Brasil, o colegiado decidiu ontem à noite que a Mittal terá de realizar uma oferta pública para as ações da empresa. Na CVM, não cabem mais questionamentos sobre esse caso. Agora, a Mittal só poderá recorrer à Justiça, caso queira questionar a decisão da CVM. Para um operador consultado, as decisões da CVM são favoráveis para os papéis das duas empresas. Ele destacou que a representatividade da Arcelor e da Telemar passa dos 3% do Ibovespa e isto deve ajudar o comportamento do índice ao longo do dia, mas não deve ser suficiente para dar uma "mexida geral no mercado". Já para outro economista, a decisão da CVM em relação à Arcelor já está no preço, mas a da Telemar, sim, pode ser mais significativa. "O que há de notícia corporativa vai ajudar", resumiu um operador. Dúvidas também cercam os operadores em relação ao comportamento da Petrobras e da Vale. As duas companhias vêm sofrendo com a queda do preço do petróleo e com a expectativa de que um desaquecimento mundial da economia possa interferir nos preços de seus papéis. Além disso, a redução das previsões para o preço do minério de ferro e para os lucros das principais produtoras australianas feitas pelo banco suíço UBS, por conta de demanda mais fraca proveniente da China, chama a atenção. A primeira avaliação feita pelos economistas consultados é a de que o banco "exagerou" e que o cenário ainda segue positivo para o setor de mineração e siderurgia. Para 2007, o UBS prevê uma queda de 5% dos preços do minério de ferro nos contratos, de uma estimativa anterior de alta de 10%. Para 2008, a previsão foi revisada para uma queda de 15% das cotações. Antes, o banco apostava em diminuição de 10% dos preços. Segundo uma fonte, a expectativa é a de que o Ibovespa passe os 35 mil pontos hoje e que chegue a 36 mil no curto prazo. Não há como desprezar também a política doméstica e o risco que traz às ações brasileiras. Segundo um operador, no entanto, o investidor - principalmente o estrangeiro - só poderá ficar mais confortável para negociar os papéis a partir das próxima segunda-feira, um dia após as eleições, quando o cenário já estiver um pouco mais consolidado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.