Ibovespa segue NY e sobe

Reabertura parcial de aeroportos europeus e balanços positivos nos EUA animaram investidores

Beth Moreira, da Agência Estado,

20 de abril de 2010 | 12h36

Investidores voltaram a ficar animados nesta terça-feira, influenciados por notícias vindas do front internacional. Balanços positivos nos Estados Unidos e a reabertura, mesmo que parcial, de aeroportos na Europa, aliviaram a tensão e ajudam a Bolsa paulista subir hoje, acompanhando os mercados de Nova York. Telesp e empresas de construção puxam o movimento.

 

Às 12h02, o Ibovespa registrava valorização de 0,69%, aos 69.576 pontos. Na pontuação máxima atingiu 69.702 pontos (+0,87%). No mesmo momento, Dow Jones subia 0,21% e S&P registrava ganhos de 0,59%.

 

Operadores explicam que a divulgação de indicadores econômicos e balanços corporativos positivos aliviam as preocupações com o caso de fraude do Goldman Sachs. A retomada parcial dos voos nos aeroportos da Europa também reduziu os receios de que o caos aéreo provocado pela fumaça expelida por um vulcão na Islândia pudesse prejudicar a recuperação econômica da região.

 

Petrobras encontra fôlego para subir acima do Ibovespa, ajudada pela alta de mais de 2% do petróleo na Nymex eletrônica, para a casa dos R$ 83,00 o barril. Há instantes os papéis preferenciais da estatal avançavam 1,85%, enquanto os ordinários subiam 1,96%. A chefe de análise da Spinelli Corretora, Kelly Trentin, lembra que as ações da estatal caíram 6,5% na última semana e que a alta de hoje não passa de uma recuperação técnica.

 

Vale PNA opera com alta de 0,24% e ON com valorização de 0,61%. A empresa é beneficiada pela recuperação da cotação dos metais básicos na London Metal Exchange (LME).

 

No setor siderúrgico, os sinais são divergentes. Gerdau (-0,17%) recua, enquanto Gerdau Metalúrgica (+0,17%), CSN (+1,01%) e Usiminas (+1,01%) avançam. Hoje, a Associação Mundial de Aço informou que prevê que a demanda global aparente de aço em 2010 deverá crescer 10,7% em comparação com a de 2009, impulsionada pela forte demanda nos mercados emergentes.

 

Maiores altas

 

As ações preferenciais da Telesp lideram a lista de maiores altas do Ibovespa após notícia publicada na imprensa internacional de que a Telefônica iniciará nas próximas semanas uma negociação com a parceira Portugal Telecom para o seu negócio de linha fixa. Há instantes os papéis avançavam 3,07%.

 

Segundo reportagem publicada pelo Financial Times, o acordo prevê a integração da Telesp na joint venture que a empresa já mantém atualmente com a Portugal Telecom. Atualmente Telefônica e Portugal Telecom já são parceiras na empresa de telefonia móvel Vivo.

 

As empresas de construção voltam a subir após as sucessivas quedas dos últimos dias. Cyrela (+2,71%), Rossi (+2,33%), MRV (+2,05%) e Gafisa (+1,62%) integram a lista de maiores altas do Ibovespa. PDG também sobe 0,53%. "Ontem o mercado não precificou os dados positivos de Rossi, que hoje apresenta correção", destaca Eduardo Marques Roche, da Modal Asset Management.

 

Ontem a incorporadora e construtora Rossi informou que os lançamentos totais cresceram 350% no primeiro trimestre do ano, na comparação com igual período de 2009, para R$ 722,4 milhões. 

 

Maiores quedas

 

Os papéis da Oi lideram a lista de maiores quedas do Ibovespa em meio às discussões sobre o Plano Nacional de Banda Larga. A ideia de que a empresa se torne o principal instrumento para popularizar a internet no País está dividindo o governo, segundo reportagem publicada esta manhã no Empresa e Setores. Por volta do meio dia, Telemar PNA recuava 1,10%.

 

Também compunham a lista de maiores quedas do índice as ações da Brasil Telecom PN (-0,93%), Light ON (-0,84%), Embraer (-0,68%) e Brasil Foods (-0,71%).

 

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsaPetrobrasValeTelebrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.