Ibovespa segue volátil

As ações de Petrobras têm alta, enquanto as da Vale recuam

Beth Moreira, da Agência Estado,

23 de abril de 2010 | 12h12

A O Ibovespa, principal índica da bolsa paulista, está volátil nesta sexta-feira, acompanhando o movimento das bolsas americanas. Após ter operado em baixa praticamente toda a primeira hora do pregão, a Bovespa inverteu o sinal com a divulgação de dados de venda de casas novas nos Estados Unidos acima do esperado. Em menos de meia hora, no entanto, voltou ao vermelho. Petrobras e siderúrgicas puxam o indicador para cima, enquanto Vale, Tim e ALL pressionam para baixo.

 

Às 12h01, o principal índice da Bolsa paulista registrava desvalorização de 0,25%, aos 69.213 pontos, após ter alcançado a mínima de 69.094 pontos (-0,42%) e a máxima de 69.709 pontos (+0,47%). No mesmo momento, Dow Jones subia 0,02% e S&P 500 registrava desvalorização de 0,12%.

 

Apesar de ser considerado positivo pelo mercado, o pedido de ajuda da Grécia à União Europeia e ao FMI não deve trazer alento às bolsas no curto prazo. Isso porque o mercado espera agora para saber como será feita a estruturação desse empréstimo, avalia o operador de mesa da Um Investimentos, Eduardo Camargo Oliveira. "Esse assunto ainda vai render muito pano para a manga", diz.

 

No âmbito nacional, continuam as expectativas em torno da reunião do Copom, na próxima quarta-feira. Para Oliveira, as apostas do mercado se dividem entre um aumento de 0,5 e 0,75 ponto porcentual. "De qualquer forma os setores de construção e varejo deverão ser os mais afetados pelo aumento dos juros, enquanto o financeiro se beneficia", afirma o operador.

 

Petrobras e Vale

 

Petrobras PN subia 0,21% e ON avançava 0,34%, em convergência com o comportamento do petróleo, que opera em alta, na casa dos US$ 84,00 o barril. As ações também refletem declarações do presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, que reiterou que a companhia está confiante na conclusão de seu processo de capitalização no primeiro semestre e que conta com a cessão onerosa, por parte do governo, dos cinco bilhões de barris de petróleo do pré-sal.

 

A Petrobras anunciou ainda que pagará, em 30 de abril, os dividendos e a quarta e última parcela dos juros sobre o capital próprio referente ao porcentual do lucro líquido ajustado do exercício de 2009. O pagamento foi aprovado na assembleia geral dos acionistas realizada ontem. Serão pagos R$ 0,13 por ação de dividendos e R$ 0,12 por ação de juros sobre capital próprio.

 

Vale PN registrava desvalorização de 0,38%, enquanto ON recuava 0,69%. No setor siderúrgico Gerdau (+1,48%), Gerdau Metalúrgica (+1,05%), CSN (+0,21%), enquanto Usiminas (+-0,10%). Para a sócia-gestora da Investport, Mirela Rappaport, a tendência é de que a Vale perca espaço em dias de alta do Ibovespa, visto que já subiu muito por conta com o aumento do preço do minério. "Com os investidores saindo de Vale há espaço para valorização de outros papéis", afirma.

 

A lista de maiores altas do Ibovespa era composta por Klabin (+1,15%), Ambev (+1%), LLX (+0,81%) e Natura (+0,85%).

 

Após subir durante a manhã Positivo operava estável no mesmo horário. Ontem a empresa informou que vendeu 425,7 mil PCs no primeiro trimestre de 2010, recorde histórico para um primeiro trimestre, que representa crescimento de 31,8% em relação ao mesmo período de 2009. Os dados de volume e receitas referentes ao primeiro trimestre divulgados hoje são preliminares e ainda não foram auditados.

 

Emissões

 

A Fibria, que encerrou o pregão de ontem em queda, hoje sobe 1,05%, entre as maiores altas do Ibovespa. A empresa de celulose resultante da união entre Votorantim Celulose e Papel e Aracruz, informou ontem que pretende lançar eurobonds. A operação de emissão de Senior Unsecured Notes pela companhia ou por meio de subsidiária será entre US$ 500 milhões e US$ 750 milhões, com prazo de dez anos e opção de compra (call) a partir do quinto ano. A emissão recebeu nota "BB", em moeda local e estrangeira, da agência de classificação de risco Fitch, enquanto a Moody's atribuiu rating em moeda estrangeira Ba1.

 

Em relatório divulgado hoje, analistas do Citi afirmam que a dívida contraída pela Fibria, resultante do processo de renegociação das perdas da Aracruz com derivativos, deverá ser liquidada após a emissão de eurobônus. "Com o anúncio de uma oferta entre US$ 500

milhões e US$ 750 milhões, a Fibria eliminará o restante da dívida (relacionada à perda de US$ 2,6 bilhões da Aracruz com derivativos em 2008)", destacou o documento elaborado pelo analista Juan Tavarez.

 

Já Braskem PNA, que subiu ontem, hoje cai 0,86%. A empresa deve realizar uma emissão de aproximadamente US$ 750 milhões em bônus seniores, sem garantia de ativos reais, com vencimento em 2020. A operação acontece depois de a empresa finalizar operação de aumento de capital, que atingiu R$ 3,742 bilhões, abaixo dos R$ 4,5 bilhões planejados pela companhia.

 

OHL avança 0,55% após as controladas Autovias, Centrovias, Intervias e Vianorte anunciarem a emissão de R$ 1,372 bilhão em debêntures.

 

Na lista de maiores quedas figuravam PDG (-2,08%), Tim Participações (-1,92%), Cyrela (-1,21%), Telesp PN (-1,26%) e Gol (-1,04%).

 

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsaPetrobrasVale

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.