Ibovespa sobe 2,94% e crava novo recorde histórico

A Bovespa não só recuperou com folga o que perdeu na realização de lucros dos dois últimos dias, como bateu o sexto recorde de pontuação do ano. Terminou o dia com ganho de 2,94%, aos 36.858 pontos, com volume financeiro de R$ 2,06 bilhões. Na máxima registrada nesta quinta-feira, o Ibovespa atingiu a marca inédita de 36.979 pontos, com valorização de 3,28%. A melhora no ambiente internacional, o fluxo externo e o ajuste ao corte de juros pelo Copom motivaram o comportamento positivo da bolsa. Alguns analistas já falam em realização de lucros e o que definirá quando e se ela vai acontecer é o fluxo de capitais. Até segunda-feira passada, dia 16, o saldo de investimento estrangeiro na Bovespa em janeiro estava positivo em R$ 1,365 bilhão, montante surpreendente para o período de apenas uma quinzena. Aém disso, comentou um operador, o mercado em Nova York não está sólido. "Os balanços estão fracos", disse, referindo-se principalmente aos resultados da Yahoo e Intel, que empurraram os mercados para baixo ontem. Em Nova York, às 18h25, o Dow Jones subia 0,24%, o Nasdaq avançava 0,96% e o S&P 500 operava em alta de 0,54%. O risco Brasil recuava 7 pontos para 284 pontos base. Entre os papéis que compõem o Índice Bovespa, as maiores altas foram Celesc PNB (+7,64%), Unibanco Unit (+6,13%) e Tim Par ON (+5,84%). Nenhuma ação do índice fechou em baixa hoje.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2006 | 18h30

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.