Ibovespa sobe mais de 2% com Yellen e balanços positivos

Bolsa operou em alta durante todo o dia e fechou acima dos 53 mil pontos

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

14 de novembro de 2013 | 18h01

A Bovespa registrou forte avanço nesta quinta-feira, 14, chegando ao fim do pregão acima dos 53 mil pontos e interrompendo uma sequência de três semanas de perdas. A alta, antes do fim de semana prolongado devido ao feriado de Proclamação da República, na sexta-feira, 15, foi conduzida por balanços positivos e pela melhora do apetite por risco no exterior, que se seguiu ao vazamento do discurso "suave" de Janet Yellen para uma audiência no Senado.

No fechamento do pregão, o Ibovespa subiu 2,34%, aos 53.451,60 pontos. Na mínima, registrou 52.233 pontos (estável) e, na máxima, 53.290 pontos (+2,56%). No mês, acumula perda de 1,33% e, no ano, de 12,31%. O giro financeiro totalizou R$ 6,980 bilhões.

A Bovespa operou em alta desde abertura, apesar da queda de 0,12% do IBC-Br no terceiro trimestre ter reforçado a perspectiva de um PIB ligeiramente negativo no terceiro trimestre, como já indicavam a produção industrial e o varejo do mês de setembro. Mas os ganhos do mercado acionário superaram 2%, no início da tarde, à medida que Yellen começou seu discurso.

Nomeada pelo presidente dos EUA, Barack Obama, para comandar o Fed a partir de fevereiro, Yellen disse nesta quinta-feira, 14, durante audiência de confirmação para o cargo, no Comitê Bancário do Senado, que a política de compra de bônus do banco central dos EUA trouxe "contribuições significativas" e que os "benefícios excedem os custos" do programa. Ela reiterou também que o Fed não pode ser prisioneiro do mercado e que há perigo em acabar com acomodação muito cedo, mas também em continuar por muito tempo. "Há riscos para os dois lados", disse, acrescentando que o Comitê do Fed está comprometido a retirar o programa quando for o momento certo.

No setor corporativo, as ações da Copel, que subiram 9,76%, em meio à nova política de dividendos que elevou o payout para 50%, entre outros catalisadores positivos, ajudaram a Bovespa. Os papéis da Anhanguera avançaram 10,07%, apesar da forte queda no lucro do terceiro trimestre reportada pela companhia.

Entre as blue chips, Petrobrás PN (+2,46%) e Petrobrás ON (+2,46%), enquanto os papéis da Vale subiram 0,97% (PNA) e 1,04% (ON). CSN também foi destaque, com ganho de 3,61%, ao informar um aumento de 216% no lucro líquido do trimestre passado, contaminando positivamente outras companhias do setor.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.