Ibovespa tem maior nível desde outubro aos 55 mil pontos

A Bovespa retomou o patamar de 55 mil pontos nesta quarta-feira, 18, e registrou seu maior nível desde o final de outubro passado numa sessão marcada pelo exercício de Ibovespa futuro, opções sobre Ibovespa e, principalmente, pelo resultado do encontro de política monetária de dois dias do Federal Reserve. Em meio à leitura de que nada muda por lá por enquanto, a Bovespa firmou a trajetória positiva iniciada na hora do almoço - depois de algum sobe e desce pela manhã.

CLAUDIA VIOLANTE, Agência Estado

18 de junho de 2014 | 17h41

O Ibovespa terminou o pregão com alta de 1,66%, aos 55.202,54 pontos, na máxima do dia e no maior nível desde 23 de outubro do ano passado (55.440,03 pontos). Na mínima, registrou 54.046 pontos (-0,47%). No mês, acumula ganho de 7,74% e, no ano, de 7,17%. O giro financeiro totalizou R$ 15,975 bilhões, engordado pelo exercício. Os dados são preliminares.

Petrobras ON teve ganho de 3,64% e PN, de 3,71%, Vale ON subiu 1,41%, PNA, +1,37%, Itaú Unibanco PN, +1,37%, impulsionadas, entre outros fatores, pelo vencimento do Ibovespa futuro e opções sobre o índice.

Outro fator que impulsionou Petrobras e também Eletrobras (ON +3,26% e PN +2,07%) foram as especulações com a pesquisa Ibope que será divulgada amanhã. Ontem e ainda hoje pela manhã, os papéis das estatais foram alvo de venda após rumores de que a presidente Dilma Rousseff (PT) subiu nas pesquisas, mas nesta tarde os investidores preferiram não correr o risco de perder uma possível alta nas ações de estatais e compraram esses papéis.

Sobre a Petrobras, vale registrar que o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, informou hoje que o governo está estudando a ampliação de 25% para 27,5% na mistura de álcool na gasolina.

A decisão do Federal Reserve também contribuiu para o avanço do Ibovespa, com a valorização firme das bolsas lá fora servindo de referência ao mercado doméstico. O índice Dow Jones fechou com alta de 0,58%, aos 16.906,62 pontos, o S&P 500 avançou 0,77%, aos 1.956,98 pontos, e o Nasdaq subiu 0,59%, aos 4.362,84 pontos.

O Fed manteve os juros próximos de zero e reduziu as compras mensais de bônus em US$ 10 bilhões (para US$ 35 bilhões), como esperado, além de cortar suas projeções de crescimento para este ano e revelar que a maioria dos membros do comitê vê um aumento dos juros um pouco mais forte do que se pensava em 2015 e 2016. Houve, no entanto, revisão para baixo das projeções de crescimento e de taxas de juros de prazo mais longo.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.