Ibovespa termina sessão em queda de 1,80%

Notícias sobre calote corporativo na China e tensões na Ucrânia ofuscaram os dados melhores do que o esperado do mercado de trabalho dos EUA em fevereiro

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

07 de março de 2014 | 17h37

A Bovespa devolveu os ganhos da véspera e terminou a sessão em queda, penalizada pela aversão ao risco. Notícias sobre um calote corporativo na China e as tensões na Ucrânia ofuscaram os dados melhores do que o esperado do mercado de trabalho dos EUA em fevereiro.

No fim da sessão, o Ibovespa recuou 1,80%, aos 46.244,07 pontos. Na mínima, registrou 46.086 pontos (-2,14%) e, na máxima, 47.218 pontos (+0,27%). O volume negociado hoje totalizou R$ 7,307 bilhões. A Bovespa acumula baixa de 10,22% no ano.

A bolsa abriu em queda, pressionada pelo recuo das ações da Vale e siderúrgicas, que foram impactadas pelos temores sobre o desempenho econômico da China depois de a fabricante de painéis solares Shanghai Chaori Solar Energy anunciar o primeiro calote da história do mercado doméstico de bônus corporativos do país. Essas preocupações levaram o contrato do cobre para três meses a fechar em queda de 3,8%, a US$ 6.781 a tonelada, o menor nível desde 31 de julho, na London Metal Exchange (LME). A China é o maior consumidor mundial de metais, responsável por cerca de 40% da demanda global por cobre.

As ações PNA e ON da Vale recuaram 3,63% e 3,78%, respectivamente. Entre as siderúrgicas, Usiminas PNA (-5,61%), CSN (-5,08%) e Gerdau (-3,46%).

Ainda pela manhã, a Bovespa operou rapidamente em território positivo, ajudada pela divulgação do relatório do mercado de trabalhos dos EUA. Segundo o Departamento de Trabalho americano, foram criados 175 mil empregos no mês passado, ante projeção de 152 mil novos postos de trabalho. A taxa de desemprego subiu para 6,7% em fevereiro, de 6,6% em janeiro.

Apesar dos números melhores que o esperado, a bolsa voltou a recuar, penalizada pelos papéis da Vale, uma dos principais componentes do Ibovespa, e pela falta de fôlego das bolsas dos EUA. O mercado acelerou as perdas à tarde e bateu mínimas seguidas, depois que um movimento de stop loss fez com que os investidores abandonassem ações. Um profissional comentou que o movimento teve início quando o índice estava ao redor de 46,7 mil pontos.

As preocupações com a situação da Ucrânia foram citadas por analistas para a piora do sentimento. O primeiro-ministro da Ucrânia, Arseniy Yatsenyuk, disse hoje que o país não está preparado para fazer concessões sobre a Crimeia. Em entrevista à CNBC, Yatsenyuk comentou sobre a decisão do governo local da península de votar a favor da incorporação ao território da Rússia e de um referendo no dia 16 de março. Ele classificou a votação como ilegal. Além disso, a Gazprom afirmou que pode suspender a oferta de gás para a Ucrânia se o governo não pagar as contas das entregas feitas em fevereiro. A empresa informou, no entanto, que continuará a levar o produto para a Europa.

As ações da Petrobras fecharam em queda de 0,82% (ON) e 1,78% (PN).

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.