Iene avança sobre o dólar com forte venda de ouro

O iene atingiu o maior nível em uma semana ante o dólar nesta segunda-feira, ajudado pela forte onda de vendas de contratos do ouro. A moeda japonesa começou a avançar ante as principais divisas após dados piores que o esperado da China, o que aumentou o apelo de porto seguro do iene diante de uma nova desaceleração global.

Agencia Estado

15 de abril de 2013 | 19h25

Os dados do China piores que o esperado puxaram os mercados em geral para baixo hoje. O país registrou um crescimento de 7,7% no primeiro trimestre deste ano ante o mesmo período do ano anterior, em comparação com as expectativas do mercado de uma expansão de 8%. Já a produção industrial chinesa cresceu 8,9% em março ante o mesmo mês do ano anterior, desacelerando de uma taxa média de 9,9% de expansão nos dois primeiros meses do ano. O resultado de março ficou abaixo do crescimento de 10,0% previsto por economistas.

As commodities e o mercado acionário foram prejudicados pelos dados. O ouro teve hoje a maior queda desde a década de 1980 e fechou no menor nível em dois anos, após o metal precioso sofrer uma onda de vendas pela segunda sessão consecutiva. Já o petróleo fechou no menor nível do ano.

Analistas afirmam que parte da força repentina do iene vem de investidores que haviam apostado no ouro enquanto apostavam simultaneamente contra o iene, uma negociação popular nos últimos meses. "Muitos traders estavam vendendo o iene para comprar ouro desde o anúncio de maior relaxamento monetário do Banco do Japão", disse Mike Zarembski, analista de commodities da Charles Schwab.

Agora que os preços do ouro estão despencando, os investidores estão se retirando do mercado e voltando a comprar a moeda japonesa, segundo analistas. A recuperação do iene ocorre após uma série de fortes recuos em decorrência da decisão do BoJ de anunciar um enorme pacote de estímulos no início do mês. A moeda japonesa perdeu 7% do seu valor ante o dólar em uma semana. O dólar atingiu o maior nível em quatro anos ante o iene, a 99,95 ienes, na última quinta-feira.

A onda de vendas do ouro foi particularmente prejudicial para as moedas cujas economias estão ligadas à exportação de commodities, como os dólares australiano e canadense. O primeiro atingiu o menor nível em um mês nesta segunda-feira, a US$ 1,0314, de US$ 1,0507 no fim da tarde de sexta-feira. A Austrália é um dos maiores produtores de ouro e a China é o maior parceiro comercial do país.

No fim da tarde em Nova York, o dólar caía para 96,80 ienes, de 98,40 ienes no fim da tarde de sexta-feira. Enquanto isso, o euro recuava para US$ 1,3035, de US$ 1,3113 na sexta. Frente à moeda japonesa, o euro estava em 126,20 ienes, de 128,90 ienes. E a libra esterlina era negociada a US$ 1,5326, de US$ 1,5347 na sexta-feira. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dólareurofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.