Iene sobe pelo 3º dia seguido com busca por segurança

O iene ganhou força nesta sexta-feira, 25, frente às principais moedas pela terceira sessão consecutiva, com os investidores buscando segurança em meio à escalada das tensões na Ucrânia.

STEFÂNIA AKEL, Agencia Estado

25 de abril de 2014 | 18h05

Nesta tarde, uma porta-voz das forças pró-Rússia informou que os insurgentes do leste da Ucrânia detiveram uma equipe de observadores internacionais da Organização para a Segurança e Cooperação da Europa (OSCE). Mais cedo, os líderes de países do Ocidente discutiram uma "resposta rápida" à ingerência do governo da Rússia na escalada das tensões no leste da Ucrânia, segundo o presidente da França, François Hollande. Ele participou na manhã de hoje de uma teleconferência com o presidente dos EUA, Barack Obama, e outros líderes ocidentais para discutir a possibilidade de uma nova rodada de sanções contra a Rússia.

Já Obama, que está fazendo um giro pela Ásia, havia sinalizado anteriormente que a Rússia pode sofrer sanções adicionais por ter anexado a região da Crimeia no mês passado e por supostamente ter desrespeitado um acordo para reduzir a violência no leste da Ucrânia. Ontem, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, alertou que Moscou "pagará um preço alto" se não mudar de atitude.

"Neste momento, o iene tem a melhor performance entre as grandes moedas, depois o euro e depois o dólar", disse Michael Woolfolk, estrategista do BNY Mellon. "A força do iene se deve principalmente à tensão geopolítica e à aversão ao risco."

Os investidores também começam a focar na expectativa pelo relatório de emprego dos EUA na próxima semana, que deve ser a principal influência para o dólar.

No fim da tarde em Nova York, o dólar caía para 102,14 ienes, de 102,33 ienes no fim da tarde de ontem. O euro tinha leve alta para US$ 1,3836, de US$ 1,3832, e recuou para 141,34 ienes, de 141,49 ienes ontem. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
Moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.