InBev prevê crescimento na Europa Ocidental este ano

A cervejaria InBev, grupo formado pela fusão da belga Interbrew com a brasileira AmBev, estima que o crescimento em sua divisão na Europa Ocidental deve aumentar este ano. O presidente das operações da InBev na Europa Ocidental, Stefan Descheemaeker, afirmou que a região contribuiu com menos de 1% para o crescimento do Ebitda (ganho antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da companhia no ano passado. Segundo o executivo, em 2006 a divisão vai superar esse desempenho. "Nós precisamos, com certeza, reverter a tendência de queda", disse Descheemaeker. "Isso é muito mais do que simples números. É uma questão de orgulho."A InBev é a maior cervejaria do mundo em termos de volume. No mês passado, a empresa informou que o lucro líquido quase triplicou nos primeiros três meses do ano, com forte crescimento nos mercados emergentes compensando o declínio na Europa Ocidental. A cervejaria divulgou lucro líquido de 166 milhões de euros no período, comparado aos 58 milhões de euros apurado nos primeiros três meses de 2005. A receita do grupo saltou 23%, de 2,27 bilhões de euros para 2,79 bilhões de euros.A operações da InBev na Europa Ocidental e América Norte têm sido atingidas por uma forte retração nas vendas, com os consumidores trocando a cerveja por vinho e outros tipos de bebidas. Em resposta, a InBev introduziu medidas rígidas de corte de custos na América do Norte no ano passado e mais recentemente na Europa Ocidental - o que ajudou o grupo a melhorar suas margens no trimestre nas duas regiões. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.