Indiana Jindal Steel investirá US$ 2,3 bi na Bolívia em 10 anos

O grupo indiano Jindal Steel & Power Ltd anunciou planos de investir US$ 2,3 bilhões na Bolívia nos próximos 10 anos no desenvolvimento de minas de minério de ferro e construção de siderúrgicas. Como isso, a empresa pretende garantir o fornecimento de matérias-primas e controlar custos.A usina siderúrgica terá capacidade anual de 1,5 milhão de toneladas, segundo o vice-presidente executivo e diretor administrativo da Jindal Steel, Naveen Jindal. A fábrica também terá capacidade para produzir 10 milhões de toneladas de pelotas de aço e 6 milhões de toneladas de ferro esponja ao ano. O ferro reduzido por um processo usando gás natural é chamado de ferro esponja, enquanto o ferro gusa usa carvão vegetal."Nos próximos cinco anos faremos um investimento de US$ 1,5 bilhão. Esse montante chegará a US$ 2,3 bilhões em 10 anos", declarou a Jindal. "Os depósitos de minério de ferro totalizam 40 bilhões de toneladas e estamos conseguindo metade disso". Segundo o executivo, 80% do investimento total irá para a construção de uma siderúrgica e o restante será destinado para a mineração de minério de ferro. A Jindal afirmou que vai usar as abundantes reservas de gás natural na Bolívia para produzir aço. Como parte do projeto, o grupo vai construir uma usina de energia de 400 megawatts no país.Pela manhã, o governo boliviano anunciou que a Jindal Steel ganhou a concessão dos direitos de mineração de uma reserva de 20 bilhões de toneladas de minério de ferro nas minas de El Mutun, região próxima da fronteira com o Brasil. As informações são da agência Dow Jones.

Agencia Estado,

02 de junho de 2006 | 09h40

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.