Indicadores econômicos beneficiam euro e pressionam dólar

Às 10h20 (de Brasília), o euro subia para US$ 1,2857, de US$ 1,2763 no fim da tarde de ontem, mesmo com os contínuos receios com os resultados dos testes de estresse dos bancos que serão divulgados amanhã

Danielle Chaves, da Agência Estado,

22 de julho de 2010 | 10h46

O euro opera em alta diante do dólar, depois que indicadores econômicos melhores do que o esperado na zona do euro ajudaram a acalmar os investidores que haviam ficado apreensivos pelos comentários pessimistas feitos pelo presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, ontem. Por outro lado, um dado fraco sobre o mercado de trabalho dos EUA pressionou o dólar.

 

O número de pedidos de auxílio-desemprego nos EUA subiu 37 mil na semana passada, mais do que o aumento de 21 mil previsto pelos economistas. Em contraste ao indicador norte-americano decepcionante, o índice dos gerentes de compra (PMI) composto preliminar para julho da zona do euro subiu para 56,7, o nível mais alto dos últimos três meses.

 

A libra esterlina, por sua vez, se beneficiou do crescimento de 0,7% nas vendas no varejo do Reino Unido em junho, em relação a maio, acima da alta de 0,4% esperada pelos economistas.

 

O dólar já operava pressionado desde ontem, após o depoimento de Bernanke ao Senado dos EUA, no qual fez uma avaliação pessimista sobre a recuperação da economia norte-americana. Depois disso, os investidores fugiram dos ativos de maior risco até que os dados da zona do euro anunciados no início desta quinta-feira ajudaram o valor esses ativos a se recuperar. Bernanke fará um novo depoimento, desta vez à Câmara dos EUA, às 10h30 (de Brasília).

 

Às 10h20 (de Brasília), o euro subia para US$ 1,2857, de US$ 1,2763 no fim da tarde de ontem, mesmo com os contínuos receios com os resultados dos testes de estresse dos bancos que serão divulgados amanhã. O dólar recuava para 86,69 ienes, de 87,01 ienes ontem, e a libra avançava para US$ 1,5241, de US$ 1,5170. O índice do dólar estava em 82,754, de

83,291. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
eurodólarienelibra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.