Indicadores ruins fazem bolsas de NY recuarem

As bolsas de Nova York fecharam em queda nesta quinta-feira, 16, após um dia volátil, interrompendo o rali das últimas sessões, com a divulgação de dados negativos da economia norte-americana e a preocupação, gerada por discursos de algumas autoridades do Fed, de que o banco central pode reduzir estímulos em breve.

Agencia Estado

16 de maio de 2013 | 18h09

O índice Dow Jones caiu 42,47 pontos (0,28%) e fechou a 15.233,22 pontos. O S&P 500 perdeu 8,31 pontos (0,50%), encerrando a 1.650,47 pontos. E o Nasdaq recuou 6,38 pontos (0,18%) e fechou a 3.465,24 pontos.

O índice de preços ao consumidor (CPI) dos EUA caiu 0,4% e o núcleo subiu 0,1% em abril, na comparação com março, apontando uma inflação mais baixa do que a prevista pelos economistas, que calculavam queda de 0,3% e alta de 0,2%, respectivamente. Também no mês passado as construções de moradias iniciadas nos EUA diminuíram 16,5%, bem pior do que o declínio de 6,4% esperado. Outro indicador ruim foi o número de pedidos de auxílio-desemprego no país, que aumentou para 360 mil na última semana, acima da estimativa de 330 mil.

Mesmo com os indicadores ruins da manhã, os índices de Wall Street se revezaram entre os territórios positivo e negativo durante o dia. Mas as bolsas atingiram as mínimas da sessão no fim da tarde, após o presidente do Fed de São Francisco, John Williams, afirmar que a instituição pode começar a diminuir as compras de bônus já no meio do ano. Williams, no entanto, não é membro votante do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês).

"Os comentários elevam a perspectiva de diminuição de estímulos e isso foi o que mais pesou hoje", disse Steve Sosnick, da Timber Hill.

No noticiário corporativo, as ações da Cisco Systems saltaram 13%, para o maior nível em dois anos e meio, após a blue-chip anunciar ontem, depois do fechamento do mercado, lucro e receita acima das expectativas.

Já os papeis da WalMart recuaram 1,7%, pesando sobre o índice Dow Jones, após a maior varejista do mundo anunciar lucro abaixo do previsto por analistas e anunciar perspectivas fracas para o segundo trimestre.

Na Europa, a escalada recente das ações também perdeu fôlego hoje, com quatro das seis principais bolsas do continente encerrando o pregão no vermelho, também pressionadas pela nova rodada de dados decepcionantes dos EUA. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dow jonesnasdaqfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.