Índice Bovespa abre com valorização

O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) abriu em alta hoje. Às 10h10, o indicador apresentava ganho de 0,71%, aos 36.100 pontos. Segundo analistas, na ausência de indicadores econômicos e eventos importantes tanto nos EUA quanto no Brasil, o tom dos negócios nesta sexta-feira deve ser pautado pelos balanços de empresas e a expectativa é de um dia volátil. O Ibovespa futuro apontava, às 10h08, alta de 0,72%. Ontem, a Bolsa fechou na mínima de 2,55%, em 35.846 pontos, corrigindo parte do exagero da alta da quarta-feira, e também reagindo a ata do comitê de mercado aberto dos Estados Unidos (Fomc, na sigla em inglês). Muitos analistas consideraram a ata menos benigna do que a fala do presidente do Fed, Ben Bernanke, na última quarta, por ter indicado que os membros do comitê mostraram "incerteza significativa" sobre o nível apropriado da taxa de juro. Ou seja, o mercado continua em dúvida quanto ao futuro da política monetária e sensível a oscilações de preços. Nos EUA, os índices futuros de ações operam em direções opostas. O Nasdaq futuro, com vencimento em setembro, perdia 0,22%, pressionado pelo alerta negativo da Dell, que disse esperar receita e lucro no segundo trimestre abaixo do esperado pelos analistas. As ações da Dell despencavam no pré-mercado 15%, encobrindo a alta de 6% das ações da Microsoft, que ontem a noite divulgou resultado bom. O S&P 500 avançava 0,22%. Na Europa, as bolsas também operam com desvalorização, pressionadas por resultados desfavoráveis da Ericsson e Infineon Technologies. A bolsa de Frankfurt caía 1,18% e a de Paris, -0,73%. O petróleo também continua no centro das atenções. Os preços operam em alta esta manhã, em meio à expectativa de que Israel estaria preparando uma grande ofensiva por terra contra o Líbano. Na Bovespa, o dia também é forte em balanços. A Vivo Participações divulgou hoje cedo prejuízo líquido de R$ 493,1 milhões. A perda foi 95,1% maior do que a registrada em igual período do ano passado. O prejuízo veio muito acima do esperado pelos analistas (R$ 38 milhões a R$ 185 milhões). Ontem as ações preferenciais da Vivo caíram 7,58%, a maior baixa do Ibovespa. Além do balanço, os papéis também devem reagir à aprovação pelo conselho de administração da construção da rede GSM/EDGE, com investimento previsto de aproximadamente R$ 1,080 bilhão. Havia expectativa grande em relação ao valor desse investimento. A Net também anunciou balanço esta manhã. O lucro líquido de R$ 21,8 milhões no segundo trimestre, um aumento de 5,9% em relação aos R$ 20,5 milhões de igual período de 2005. A receita líquida cresceu 21,2%, para R$ 466,2 milhões, e o Ebitda aumentou 10,3%, para R$ 125,9 milhões. Após o fechamento, sai o resultado da Telesp. A ações de Perdigão e Sadia continuam sob os holofotes. Após a recusa dos fundos de pensão, a Sadia decidiu fazer um novo lance. Ontem a noite, a empresa elevou a oferta para R$ 29,00 por ação da concorrente, acima dos R$ 27,88 propostos inicialmente, o que significa aumento de 4%.

Agencia Estado,

21 de julho de 2006 | 10h11

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.