Índice de inadimplência no BB cai para 2,9% em 2006

O índice de inadimplência do Banco do Brasil (BB) para operações com mais de 60 dias de atraso na carteira encerrou o ano passado em 2,9%, o que indica uma queda em relação aos 4% apresentados em 2005. Nas operações com mais de 90 dias de atraso, a redução foi de 3,4% para 2,5%, na mesma base de comparação.O resultado do BB contraria a tendência de alta na inadimplência verificada no sistema financeiro em 2006. No relatório que acompanha o balanço financeiro, divulgado hoje, a instituição atribui o desempenho a medidas de gestão focadas no portfólio de operações baixadas em perdas, que foram intensificadas e atingiram recuperação no valor de R$ 1,2 bilhão no ano passado.As operações de crédito classificadas nos níveis de risco AA, A, B e C (os mais seguros) responderam por 91% da carteira do BB, acima do patamar de 90,6% do mercado em 2006.AgronegócioO Banco do Brasil apresentou saldo de R$ 45,1 bilhões na carteira de agronegócios em 2006, um aumento de 26,2% em relação ao ano anterior. Uma parte desse crescimento deveu-se ao processo de renegociação de operações com os produtores rurais, informa o banco, no relatório que acompanha o balanço anual.A carteira era composta por 57,9% de operações de custeio e comercialização e 41,2% de investimento. As transações para agroindústrias registraram saldo de R$ 7,1 bilhões, alta de 108,8%.Na safra 2005/2006, o BB destinou R$ 26,9 bilhões ao setor rural. Os recursos foram distribuídos em mais de 1,3 milhão de operações de investimento, custeio e comercialização, segundo a instituição. Para a safra 2006/2007, que teve início em julho de 2006, está prevista liberação de R$ 33 bilhões. Desse montante, R$ 27 bilhões serão destinados à agricultura empresarial e R$ 6 bilhões à agricultura familiar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.