Índice de inflação preocupa e provoca realização em NY

As bolsas norte-americanas esboçam finalmente intenção de realizar os lucros das últimas semanas, os quais levaram o índice Dow Jones a fechar em nível recorde de alta em sete dos dez pregões recentes, incluindo o de ontem. O mote foi a divulgação do índice de inflação no atacado, que reforçou as observações feitas há mais de uma semana por autoridades do Federal Reserve de que as pressões inflacionárias não devem ser subestimadas. Às 12h05 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,59%, o Nasdaq recuava 1,31% e o S&P 500 cedia 0,70%. Embora o índice cheio tenha apresentado deflação de 1,3% em setembro, o núcleo do índice de preços ao produtor subiu 0,6%, mais do que os economistas calculavam. Foi a maior alta desde janeiro do ano passado; a queda do índice cheio foi a maior desde abril de 1993. O núcleo do índice exclui os preços voláteis de alimentos e energia. Economistas observaram que, enquanto a queda do índice cheio foi provocada por retração dos preços de gasolina, a alta do núcleo foi motivada por aceleração nos preços dos automóveis e dos caminhões. Os investidores de títulos do Tesouro (Treasuries) olharam apenas por alguns minutos para o dado. Depois de reação imediata de queda, os papéis passaram a subir (queda do juro), com participantes focados no dado sobre o fluxo de investimento estrangeiro nos EUA em agosto, que atingiu nível recorde. As compras de títulos e bônus do Tesouro também registraram aumento relevante em agosto. Os investidores de Treasuries compraram papéis também na esteira da queda de 0,6% na produção industrial, acima do que os economistas esperavam. Mas para o mercado de ações, a combinação de inflação alta com baixo crescimento pode renovar as especulações de estagflação, dizem especialistas. Assim, a expectativa para o CPI de setembro, a inflação para o consumidor que será divulgada amanhã, já está ampliada. As considerações sobre inflação sufocaram o efeito favorável dos resultados divulgados por algumas blue chips, como United Technologies e Johnson & Johnson, assim como da proposta de US$ 8 bilhões de fusão da Chicago Mercantile Exchange Holdings e da CBOT Holdings, que controla a Chicago Board of Trade. As ações da CBOT dispararam 14% e as da CME subiram 3%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2006 | 12h21

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.