Índice DJ Brazil Titans 20 de ADRs cai 1,89%

Os recibos da Vivo recuaram 4,32%, para US$ 26,79 e os da Fibria perderam 4,05%, para US$ 21,82

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

24 de março de 2010 | 18h40

Os ADRs das empresas brasileiras negociados em Nova York encerraram a sessão em baixa, acompanhando o comportamento das bolsas norte-americanas, pressionados pela aversão ao risco gerada pelo rebaixamento do rating soberano de Portugal pela Fitch. O índice Dow Jones Brazil Titans 20 recuou 638,06 pontos (1,89%) para 33.072,80 pontos.

 

Os recibos da Vivo recuaram 4,32%, para US$ 26,79; e os da Fibria perderam 4,05%, para US$ 21,82.

 

A Telebrás declinou 3,25%, para US$ 5,35. A empresa foi pressionada por notícias de que o Tesouro defende a extinção da empresa e a criação de uma nova empresa pública para exercer as funções da estatal de telecomunicações no Brasil.

 

Entre os bancos, o Itaú Unibanco caiu 2,91%, para US$ 20,33, e o Bradesco perdeu 1,65%, para US$ 17,31%.

 

Os papeis ON da Petrobras caíram 0,42%, para US$ 44,89, enquanto os PN perderam 0,37%, para US$ 40,28.

 

A Vale registrou queda de 0,79% nos recibos ON, para US$ 31,32, e de 1,17% nos PN, para US$ 27,04. Os contratos futuros de ouro registraram queda acentuada, em meio ao declínio do euro para o seu mais baixo patamar contra o dólar desde maio de 2009. A queda do metal afetou as companhias do setor de mineração.

 

Os índices de ADRs do Bank of New York Mellon também recuaram. O índice composto caiu 1,69% para 133,61 pontos; o índice latino-americano perdeu 1,32% para 383,03 pontos; e o índice brasileiro declinou 1,37% para 469,22 pontos.

 

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsaADRsDow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.