Inflação ajuda a prever taxa de juros nos EUA

São Paulo, 29 de setembro - O mercado mantém-se em dúvida sobre o ritmo de desaquecimento da economia norte-americana, o que afeta as previsões sobre a política monetária do banco central dos Estados Unidos. Assim, os mercados acionários continuam respondendo à divulgação de indicadores, sem se permitirem concentrarem-se nos fundamentos. Um dos mais importantes desses indicadores, o índice de preços dos gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) dos EUA, será conhecido hoje, e os mercados, tanto lá como no Brasil, estarão atentos. EUA/Consumo - O Departamento do Trabalho dos EUA divulga às 9h30 (horário de Brasília) os dados de renda pessoal e gastos com consumo em agosto, acompanhados pelo índice de preços dos gastos com consumo (PCE). Economistas prevêem que a renda tenha crescido 0,4% em agosto; os gastos, 0,2%; a variação na taxa de poupança tenha sido negativa em 0,8%; e o PCE tenha ficado em +0,2%, assim como seu núcleo - que exclui alimentos e energia. EUA/Consumidor - Às 10h45 (horário de Brasília), a Universidade de Michigan divulga para seus assinantes o índice de sentimento do consumidor final de setembro. EUA/Indústria - Às 11 horas (horário de Brasília), a Associação dos Gerentes de Compras de Chicago divulga o índice de atividade industrial regional de setembro. EUA/Discurso - O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de St. Louis, William Poole, fala sobre "dependência de indicadores" às 11 horas (horário de Brasília), durante conferência em Murfreesboro (Tennessee).

Agencia Estado,

29 de setembro de 2006 | 07h00

Tudo o que sabemos sobre:
agenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.