Inflação ajuda a prever taxa de juros nos EUA

São Paulo, 29 de setembro - O mercado mantém-se em dúvida sobre o ritmo de desaquecimento da economia norte-americana, o que afeta as previsões sobre a política monetária do banco central dos Estados Unidos. Assim, os mercados acionários continuam respondendo à divulgação de indicadores, sem se permitirem concentrarem-se nos fundamentos. Um dos mais importantes desses indicadores, o índice de preços dos gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) dos EUA, será conhecido hoje, e os mercados, tanto lá como no Brasil, estarão atentos. EUA/Consumo - O Departamento do Trabalho dos EUA divulga às 9h30 (horário de Brasília) os dados de renda pessoal e gastos com consumo em agosto, acompanhados pelo índice de preços dos gastos com consumo (PCE). Economistas prevêem que a renda tenha crescido 0,4% em agosto; os gastos, 0,2%; a variação na taxa de poupança tenha sido negativa em 0,8%; e o PCE tenha ficado em +0,2%, assim como seu núcleo - que exclui alimentos e energia. EUA/Consumidor - Às 10h45 (horário de Brasília), a Universidade de Michigan divulga para seus assinantes o índice de sentimento do consumidor final de setembro. EUA/Indústria - Às 11 horas (horário de Brasília), a Associação dos Gerentes de Compras de Chicago divulga o índice de atividade industrial regional de setembro. EUA/Discurso - O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de St. Louis, William Poole, fala sobre "dependência de indicadores" às 11 horas (horário de Brasília), durante conferência em Murfreesboro (Tennessee).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.