Inflação nos EUA é dado-chave para juros no Brasil

O mercado de juros está bem devagar neste começo de dia e o juro do DI de janeiro de 2008, contrato futuro mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros, opera em leve alta. O dia não promete muito em termos de indicadores e o presidente do Fed (banco central americano), Ben Bernanke, só fala à noite (20h30), o que significa que, se ele disser algo de impacto para os mercados, a reação virá apenas amanhã. A semana é tensa, com indicadores da inflação norte-americana, apesar dos jogos da Copa (Brasil estréia amanhã, com fechamento mais cedo da Bovespa e BM&F) e do feriado de Corpus Christi. Os juros devem observar o cenário externo. O dado mais aguardado da semana é o CPI (inflação ao consumidor) dos EUA, que será divulgado na quarta. As notícias de inflação e de expectativas do mercado são boas esta manhã. O IPC-Fipe divulgado hoje cedo mostrou deflação de 0,38% na primeira quadrissemana de junho (ante -0,22% no fechamento de maio), um resultado que ficou abaixo do piso das estimativas do mercado (de -0,35% a -0,10%, com mediana em -0,28%). A pesquisa Focus do Banco Central, com as expectativas do mercado, trouxe uma queda significativa na projeção para o IPCA de 2006, de 4,31% da semana passada para 4,22% agora. Às 10 horas, o juro do DI de janeiro de 2008 estava em 15,74%, ante fechamento na sexta-feira a 15,72%.

Agencia Estado,

12 de junho de 2006 | 10h19

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.