Toby Melville/ Reuters
Toby Melville/ Reuters

Inglaterra eleva juro pela 5ª vez seguida e diz que 'agirá com força' se inflação persistir

Banco da Inglaterra (BoE) elevou a taxa básica de juros em 25 pontos-base, a 1,25%; Suíça também anunciou nesta quinta um inesperado aumento da taxa de juros

Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2022 | 09h23

O Banco da Inglaterra (BoE) decidiu elevar sua taxa básica de juros em 25 pontos-base pela quinta vez consecutiva, a 1,25%, em meio à persistência da inflação alta no Reino Unido, após concluir reunião de política monetária nesta quinta-feira, 16. A decisão do BC inglês veio em linha com a expectativa de analistas.

Segundo comunicado do BoE, seis de seus nove dirigentes de política monetária votaram pelo aumento do juro básico a 1,25%. Os três dissidentes defenderam um aumento mais agressivo da taxa, a 1,50%.

Em meio aos impactos da guerra entre Rússia e Ucrânia, em especial nos preços de energia, o BoE prevê que a taxa anual de inflação ao consumidor (CPI) britânica deverá ficar acima de 9% nos próximos meses e acelerar para "um pouco mais" de 11% em outubro.

Ainda no comunicado, o BC inglês sinalizou que aumentos mais agressivos do juro básico poderão ser necessários para domar a inflação. "O comitê (de política monetária do BoE) ficará particularmente alerta a indicações de pressões inflacionárias mais persistentes e agirá com força", se necessário", afirmou.

O BoE também projeta que o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido sofrerá contração de 0,3% no segundo trimestre deste ano, diante de resultados mais fracos do que o esperado em abril.

Suíça 

O Banco Central da Suíça (SNB, pela sigla em inglês) também anunciou nesta quinta-feira, 16, um inesperado aumento de juros, o primeiro desde setembro de 2007. O SNB elevou sua principal taxa de juros em 50 pontos-base, de -0,75% a -0,25%, numa tentativa de conter a inflação doméstica. Economistas consultados pelo The Wall Street Journal esperavam que o juro básico ficasse inalterado.

 A inflação anual suíça acelerou para 2,9% em maio, atingindo o maior nível em mais de uma década.

 Em comunicado, o SNB disse que não poderá descartar mais aumentos de juros no "futuro previsível" para estabilizar a inflação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.