Intel e Embratel inauguram internet sem fio no Amazonas

Localizada na ilha fluvial de Tupinambara, a 12 horas de barco de Manaus, Parintins é mais conhecida pelo seu festival folclórico do boi-bumbá, que acontece no meio do ano, com mais de 100 mil pessoas assistindo à disputa do boi azul Caprichoso e do boi vermelho Garantido, no bumbódromo da cidade. Parintins alia a tradição à tecnologia, e acaba de se tornar a cidade digital mais remota do mundo.A cidade recebe hoje a visita de Craig Barrett, presidente do conselho da norte-americana Intel, que inaugura um sistema de banda larga sem fio. A Embratel, uma das parceiras do projeto, conectou a cidade via satélite. O sinal é distribuído a partir do satélite pela tecnologia WiMax, uma das principais apostas tecnológicas da Intel, e, em quatro locais, foram instalados acessos com a tecnologia de rede local Wi-Fi. Todo o sistema é sem fio, de ponta a ponta."A idéia é mostrar que, se o sistema funciona no meio da selva, pode ser instalado em qualquer lugar", afirma Elaine Nucci, gerente de Desenvolvimento de Negócios para WiMax da Intel na América Latina. "Na própria Intel já recebemos consultas de um grupo da Ásia, que quer replicar a experiência. É o primeiro projeto de WiMax combinado com satélite no mundo."Maior fabricante de chips do mundo, a Intel não revela o valor do investimento. O projeto faz parte de um programa da empresa chamado World Ahead, que prevê investimentos de mais de US$ 1 bilhão em todo o mundo, num período de cinco anos, para acelerar o acesso à tecnologia nas comunidades em desenvolvimento.A empresa americana enfrenta, mundialmente, um cenário de redução nos lucros e avanço da rival AMD. O mercado de microcomputadores, o principal para a Intel, já é maduro e começa a se desacelerar globalmente. Dessa forma, a fabricante de chips precisa atacar novas áreas, como as telecomunicações, e elegeu o WiMax como sua principal estratégia. No começo do mês, a Intel anunciou o corte de 10,5 mil funcionários em todo o mundo, ou 10% de sua força de trabalho.MelhorasEm Parintins, a internet sem fio está disponível em duas escolas, um centro comunitário, um posto de saúde e na Universidade da Amazônia. "As pessoas já começaram a ver melhoras por causa do projeto", explica Elaine. "Alguns lugares receberam energia elétrica só para abrigar os computadores." A Intel doou cerca de 70 máquinas, incluindo dois notebooks para o posto de saúde.Antes, a cidade era atendida somente com um ponto de internet via satélite do Governo Eletrônico - Serviço de Atendimento ao Cidadão (Gesac), programa do governo federal, com um único computador. A velocidade era de 64 quilobits por segundo, pouco mais do que um acesso discado. Com a conexão da Embratel, a velocidade chegará a 1 megabit por segundo, dezesseis vezes maior. Há somente um provedor de internet na cidade de 114 mil habitantes. Ele oferece acesso discado."Os laboratórios vão atender a 1,5 mil crianças", disse a gerente da Intel. Foram treinados 24 professores, pela Fundação Bradesco. O posto de saúde conta com um sistema de videoconferência, para permitir que os médicos locais possam se comunicar com especialistas em Manaus e outras cidades. Também participaram do projeto a Cisco, CPqD e Proxim.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2006 | 10h01

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.