Investidor de longo prazo retorna e ouro US$ 1.400

O ouro volta a operar acima de US$ 1.400 por onça-troy, depois de as fortes quedas vistas no início desta semana provocarem aumento nas compras físicas dos metais preciosos a baixos preços. Além disso, Aram Shishmanian, executivo-chefe do Conselho Mundial do Ouro, emitiu um comunicado nesta sexta-feira, 19, dizendo que com essa alta os investidores de longo prazo fizeram sentir sua presença.

Agencia Estado

19 de abril de 2013 | 08h53

"Foi ficando cada vez mais claro durante a última semana que a queda no preço do ouro era provocada por operadores especulativos que operam nos mercados futuros", afirmou Shishmanian.

Segundo o Conselho Mundial do Ouro, já existe falta de barras de ouro e moedas em Dubai. "Claramente o desejo de possuir ouro, como investimento ou adorno, foi sentido no mercado físico. Nossa visão é de que a demanda está forte e a oferta permanece limitada e essa dinâmica é, no fim, o que move os preços no longo prazo", afirmou Shishmanian.

Às 8h36 (de Brasília), no mercado à vista, o ouro subia 0,94%, para US$ 1.407,16 por onça-troy, e a prata avançava 0,82%, para US$ 23,49 por onça-troy. Na segunda-feira, 15, o ouro teve o maior declínio diário desde a década de 1980 e alcançou o nível mais baixo em dois anos. A recuperação, no entanto, continua moderada e vulnerável a reveses, segundo analistas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ouroinvestidoresretorno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.