Investidores vendem ações e bolsas da Ásia fecham sem direção única

As bolsas na região da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta quinta-feira, com os mercados chineses pressionados por um movimento de realização de lucros e o da Austrália encerrando o dia na máxima em duas semanas em meio à perspectiva de taxas de juros baixas.

Sergio Caldas, da Agência Estado,

15 de maio de 2014 | 07h40

Na China, as ações encerraram em queda pela terceira sessão consecutiva, com os investidores embolsando lucros sobre papéis de empresas de metais e telecomunicações, após a recente valorização desses setores. O principal índice do país, o Xangai Composto, caiu 1,1%, a 2.024,97 pontos, depois de mostrar ligeiras perdas de 0,1% em cada uma das duas sessões anteriores. O volume de negócios em Xangai teve ligeira alta, a 59,8 bilhões de yuans (US$ 9,6 bilhões), de 56,5 bilhões de yuans ontem. O índice Shenzhen Composto, por sua vez, recuou 1,8%, a 1.022,51 pontos.

Na Bolsa de Hong Kong, por outro lado, o índice Hang Seng subiu 0,7%, a 22.730,86 pontos, impulsionado por seu segundo maior componente, a gigante da internet Tencent Holdings, que saltou 5,8% após divulgar aumento anual de 60% no lucro do primeiro trimestre.

Na Oceania, o mercado em Sydney terminou o pregão em seu maior nível em duas semanas, com os investidores buscando ações diante da avaliação de que as taxas de juros continuarão baixas em meio ao aperto fiscal na Austrália e à inflação baixa na Europa e EUA. O índice S&P/ASX 200, das ações mais negociadas na bolsa australiana, avançou 0,3%, a 5.510,80 pontos.

Entre mercados menores na Ásia, o índice sul-coreano Kospi ficou praticamente estável, com queda marginal de 0,03%, a 2.010,20 pontos, enquanto o Straits Times, de Cingapura, subiu 0,4%, a 3.272,49 pontos, o filipino PSEi, da Bolsa de Manila, cedeu 0,5%, a 6.845,82 pontos, e o índice Taiex, de Taiwan, ganhou 0,1%, a 8.880,65 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.