Decisão sobre impeachment impulsiona papéis brasileiros no exterior

Na Bolsa do Japão, fundo de ações brasileiras fechou em alta de 4,48%; na Europa e EUA, ativos nacionais também ganharam fôlego com o prosseguimento do processo de impeachment

Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2016 | 08h48

LONDRES - O mercado no exterior abriu nesta segunda-feira, 18, respondendo bem ao prosseguimento do processo de impeachment no CongressoUm dos primeiros ativos brasileiros que reage é um fundo de índice listado no Japão. O Next Funds Ibovespa Linked ETF terminou a segunda-feira com valorização de 4,48%, negociado a 140 ienes, segundo dados da Bolsa de Tóquio.

O ETF encerrou o pregão com cotação muito próxima da máxima do dia, de 141 ienes. Com a forte subida, o fundo de índice brasileiro alcançou o maior preço desde 21 de agosto de 2015, quando estava em 141 ienes.

O Next Funds Ibovespa é administrado pela Nomura Asset Management e, segundo a gestora, tem como objetivo oferecer retorno correspondente à evolução do Índice da Bolsa de Valores de São Paulo, o Ibovespa. O ETF é um fundo de investimento que acompanha o mercado de ações e que tem como principal característica a negociação em bolsa. 

Nos Estados Unidos, a manhã também começou com firme valorização dos fundos de índice de ativos brasileiros. O mais popular ETF negociado no país, o EWZ, abriu o pré-mercado da Bolsa de Nova York em alta de 3,15%, a US$ 29,49. 

Outros ETFs que acompanham os ativos brasileiros também registram valorização semelhante na Europa. Às 6h15 no horário de Brasília, o DB X-Trackers DBX MSCI Brazil ganhava 2,04% e o Ishares PLC MSCI Brazil UCITS ETF registrava valorização de 2,02% na Bolsa de Londres. No mesmo horário, as cotas do HSBC MSCI Brazil ETF subiam 4,12% e o Lyxor ETF Brazil (Ibovespa) C-EUR ganhava 1,5% na Bolsa de Frankfurt. 

Petrobrás. Os recibos das ações da Petrobrás negociados no mercado de papéis latino-americanos da Bolsa de Madri, o Latibex, apresentam valorização superior a 2%. Às 7h45 no horário de Brasília, os recibos das ações ordinárias da estatal brasileira Petrobrás registravam valorização de 2,09%, a 2,93 euros, segundo números da Bolsa de Madri. Já o recibo do papel preferencial ganhava 2,62%, a 2,35 euros.

Vale lembrar que a liquidez do Latibex é muito inferior à registrada na Bolsa de Valores de São Paulo e em Nova York, onde são, respectivamente, negociadas as ações e os ADRs das empresas brasileiras. A baixa liquidez pode gerar distorção na formação dos preços. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.