Investimentos da Petrobras devem crescer 25% este ano

Impulsionada pelo aquecimento do mercado global de petróleo, a Petrobras espera realizar este ano R$ 21,186 bilhões em investimentos, de acordo com dados do Ministério do Planejamento. O volume é cerca de 25% maior que o previsto no ano anterior.Os investimentos poderiam ser maiores, se a estatal não estivesse obrigada a colaborar na formação do superávit primário do setor público. O superávit primário é a economia de recursos para pagamento de juros. Mesmo tendo mais dinheiro para investir, a Petrobras não pode aplicar tudo de que dispõe, para cumprir sua cota no resultado primário.Em 2006, a Petrobras deverá ser responsável por cerca de 66,2% da meta de superávit primário das estatais federais, estabelecida em R$ 17,9 bilhões. Ou seja, a estatal de petróleo deverá contribuir para a economia destinada ao pagamento de juros com cerca de R$ 11,8 bilhões.Os números bilionários da empresa brasileira seguem a tendência do que está ocorrendo com todas as demais petrolíferas do mundo, explicam os analistas.As crises e disputas políticas na região do Oriente Médio - principal produtor de petróleo -, além do aumento da demanda pelo produto, estão há algum tempo puxando para cima as cotações internacionais de petróleo. Somente no primeiro semestre deste ano, a média do preço internacional do barril de petróleo tipo Brent, negociado em Londres, subiu 33% em relação ao mesmo período do ano passado."Isso explica muito do bom resultado de todas as empresas petrolíferas do mundo", resumiu a analista de energia e petróleo da consultoria Tendência, Fabiana D'Atri. Ela afirmou que o atual contexto econômico e político do mercado mundial permite projetar que ainda nos próximos meses as cotações internacionais do petróleo continuarão em alta e, com isso, também os resultados da Petrobras.A estratégia da empresa este ano, se for cumprido o orçamento de investimento previsto, é destinar cerca de R$ 14 bilhões do total do ano para projetos na área de oferta de petróleo e exploração de gás natural. Estão aí incluídos investimentos dentro e fora do País. Na seqüência, o maior item com previsão de receber investimentos são os da área petroquímica da estatal, com cerca de R$ 6,4 bilhões.

Agencia Estado,

01 de agosto de 2006 | 08h44

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.