Investir em câmbio: pense outra vez

A forte queda do preço do dólar tem levado alguns aplicadores a pensar em comprar a moeda. No mês de janeiro o preço caiu 3,48% e a queda acumulada no último ano é de 16,3%. Não que a maioria desses interessados na compra acreditem que ocorra uma valorização expressiva da moeda norte-americana, mas eles avaliam que pode ser uma boa opção como forma de diversificação dos investimentos. Mas cuidado: a maioria dos analistas acredita que o investidor deve resistir à tentação. Na última pesquisa Focus, as projeções de mercado para a taxa de câmbio no final deste mês ficaram estáveis em R$ 2,28, ante a cotação de R$ 2,244 do fechamento de ontem. Para o final de fevereiro, as estimativas continuaram em R$ 2,30 e para o final do ano em R$ 2,40. Deve-se lembrar que os analistas têm errado em suas projeções, mas a maioria acredita que nem mesmo a corrida presidencial deste ano causará grandes sustos na economia diante da perspectiva de que os candidatos mais fortes ao pleito manterão a atual política econômica. Mas há vozes dissonantes em relação a essa opinião. O consultor Fábio Colombo, por exemplo, destaca que após três anos de queda do preço do dólar, fica difícil que nenhuma reação ocorra. Segundo ele, mesmo com a perspectiva de que o risco de crise é baixo, a moeda possa alcançar rendimento superior ao apurado na Selic de 2006. Levando-se em consideração a expectativa de taxa Selic média para 2006, o dólar poderia encerrar o ano acima de R$ 2,60.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.