IPCA reflete atividade fraca e projeções de juros caem

O IPCA muito baixo acabou sendo um fator determinante para a abertura do mercado de juros nesta manhã. O resultado do IPCA de agosto, em princípio, não ameaçava influenciar o humor de investidores, mas mostrou uma variação abaixo até mesmo do piso das estimativas -- o IPCA subiu 0,05%, ante o piso das previsões, de 0,15%. O resultado provocou queda das taxas de juro futuros, porque não foi lido como um simples índice de preços, mas sim como um indicador de atividade econômica. "O IPCA, que mede a inflação do consumidor, refletiu o enfraquecimento da economia, que impediu repasse de preços e forçou promoções", afirma um operador. O profissional observa que, no início do dia, o mercado de juros indicava que acompanharia o movimento de realização de lucros no exterior. Mas logo após o IPCA buscou as mínimas. Há pouco, o contrato de Depósito Interfinanceiro de um dia com vencimento em janeiro de 2008 tinha taxa de 13,81%, ante fechamento de 13,85%. O contrato para janeiro de 2009 apresentava taxa anual de 14,01% (ante 14,03%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.