Irã nega transferência de ativos da Europa

O Irã desmentiu informações de que estaria transferindo o equivalente a bilhões de dólares em moedas fortes de bancos europeus para a Ásia, ao mesmo tempo em que declarou que a Europa não tem o direito de congelar seus ativos. Segundo a agência de notícias AFP, o ministro da Economia do Irã, Davoud Danesh-Jafari, repudiou uma matéria inicialmente publicada no Asharq al-Awsat, um jornal árabe com sede em Londres, de que o Irã ordenou que departamentos do governo sacassem dinheiro de bancos europeus, temendo a possível adoção de sanções por causa de seu programa nuclear. Danesh descreveu as notícias como politizadas e guiadas pela mídia. "Leis internacionais proíbem que os europeus façam uma coisa dessas (congelar ativos)", declarou o ministro. "Se eles fizerem isso, seria um ato contrário aos seus próprios interesses, uma vez que países produtores de petróleo e outras nações ficariam aflitos e transfeririam suas reservas para locais mais seguros", afirmou. O jornal, citando uma fonte não-identificada do Banco Central do Irã, informou que o país decidiu não dar oportunidade para que os europeus congelem suas contas bancárias, no caso de um confronto militar ou político, em razão de suas pretensões nucleares. "Vários iranianos ligados ao regime já sacaram seus capitais de bancos europeus para depositar em bancos privados em Hong Kong, assim como em Dubai, Beirute, Cingapura e Malásia", teria dito a fonte.

Agencia Estado,

20 de janeiro de 2006 | 10h05

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.