Itaú e La Caixa elevam participação no Banco Português

O Banco Português de Investimento (BPI), que tenta se desvencilhar da oferta de aquisição não solicitada de 4,3 bilhões de euros feita pelo Banco Comercial Português (BCP), anunciou que o Itaú Holdings Financeira SA e o La Caixa - principais acionistas da instituição - elevaram a participação em seu capital.De acordo com a instituição, acionistas representando 53,4% do capital do BPI agora fazem parte do pacto de direito de prioridade de compra que cobre a venda de ações. Pelos termos do pacto, cada um dos integrantes precisa ofertar as ações que pretende vender primeiro aos outros acionistas do acordo. Antes do anúncio da oferta do BCP, em 13 de março, 45% do capital do BPI fazia parte do acordo. O BPI também detém 2,1% de suas ações.O Itaú elevou sua fatia de 16,4% para 17,5% enquanto o banco espanhol La Caixa aumentou sua participação de 16,1% para 19,2%, de acordo com a lista de acionistas fornecida pelo BPI. O RAS International BV possui 8,6%, enquanto o restante está espalhado entre outros dez acionistas.O BCP ofereceu 5,7 euros por ação por 100% do BPI, avaliando o banco em 4,33 bilhões de euros. O BCP diz que sua oferta está condicionada a aquisição de pelo menor 50,1% do BPI.O conselho do BPI tem rejeitado a proposta do BCP e aconselhado seus acionistas a segui-los, dizendo que o BPI estará em melhor posição se continuar independente. No momento a oferta do BCP está em estudo pela Autoridade da Concorrência (AdC).A oferta não pode ser registrada na comissão de valores mobiliários portuguesa a menos que seja aprovada pela AdC. O Banco de Portugal e o Instituto de Seguros de Portugal (ISP, órgão regulador do setor) anunciaram que não vão se opor a oferta. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.