Itaú quer manter rede de agências do BankBoston

O banco Itaú informou hoje, em comunicado sobre a aquisição do BankBoston no Brasil, que as análises iniciais das carteiras de grandes e médias empresas indica que, na maioria dos casos, haverá capacidade de continuar atendendo os clientes nos atuais níveis de crédito. O objetivo do Itaú é manter a equipe e a rede de agências do BankBoston e somá-las à rede do Itaú Personnalité. Os clientes pessoas física e jurídica deverão usufruir da estrutura do Itaú - rede de agências, caixas eletrônicos e Bankline - tão logo haja a integração dos dois bancos. A expectativa é que ela se dê nos seis meses após a conclusão do negócio. O Itaú assinou ontem acordo com o Bank Of America Corporation (BAC) que prevê que a casa brasileira compre o BankBoston no Brasil através da emissão de 69,518 milhões de ações preferenciais, correspondendo à participação acionária aproximada de 5,8%. Tomando por base a cotação média de mercado do dia 28 de abril, estas ações estariam avaliadas em R$ 4,5 bilhões. A transação prevê ainda que o Itaú terá direito de exclusividade para adquirir as operações Boston no Chile e no Uruguai, além de outros ativos financeiros de clientes na América Latina. O Bank of America passará a ser acionista do Itaú e indicará um membro no conselho de administração do banco brasileiro. O BAC não poderá elevar sua participação no capital do Itaú acima de 20%. Em comunicado, o Itaú ressalta que esta é a maior transação no mercado financeiro brasileiro envolvendo troca de ações e garante ao banco "não só a liderança entre as instituições privadas na administração de recursos de terceiros, custódia e nos mercados de grandes empresas e de pessoas físicas de alta renda, bem como a oportunidade de expandir suas operações em novos mercados na América Latina".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.