Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Japão apoia Europa com compras em leilões do EFSF

O Japão aumentou ligeiramente a sua cota de compras de títulos no último leilão de fundos de resgate da Europa, disseram hoje funcionários graduados do governo nipônico. Foi mais um sinal de contínuo apoio dos japoneses aos esforços europeus para conter a crise da dívida na região.

DOW JONES, Agencia Estado

14 de dezembro de 2011 | 02h37

O Ministério das Finanças do Japão comprou ontem 13,2% das dívidas de três meses (curto prazo) vendidas pelo Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF, na sigla em inglês) por ? 260 milhões, afirmaram funcionários familiarizados com o assunto. A compra foi feita apesar das ameaças de agências de avaliação de crédito de rebaixar os títulos do EFSF.

No leilão anterior do EFSF, em novembro, o Japão comprou ? 300 milhões, ou 10%, dos títulos de dez anos emitidos pelo fundo, reduzindo sua participação de uma média de 20% nos três leilões anteriores.

Embora as razões por trás de um maior investimento do Japão não sejam claras, a mudança irá provavelmente tranquilizar os líderes europeus, que lutam para levantar fundos de investidores estrangeiros em meio ao ceticismo sobre sua capacidade de encontrar uma solução rápida para a crise. O investimento total do Japão em títulos do EFSF, desde que o fundo começou a emitir dívidas em janeiro, totaliza ? 3,24 bilhões.

Funcionários do governo japonês sugeriram que Tóquio vai considerar um investimento adicional, se a Europa mantiver os esforços para conter a crise. "É importante monitorar os esforços europeus", disse um alto funcionário. "Além disso, vamos considerar o estado de nossas reservas e verificar as condições de emissão, e depois fazer uma avaliação abrangente."

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoEFSFcompra títulos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.