Juro abre com estabilidade na BM&F

O contrato de depósito interfinanceiro (DI) mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), com vencimento em janeiro de 2008, operava estável em relação ao fechamento de ontem, projetando taxa de 12,48% ao ano, no início do pregão. O mercado internacional deve voltar hoje a ser a bússola dos negócios no Brasil nesta terça-feira. A agenda de indicadores nos Estados Unidos esquenta somente a partir de amanhã, mas, como ontem foi feriado no país, é provável que o mercado local tenha algum ajuste a fazer, dependendo do comportamento no exterior. O único dado previsto para hoje nos EUA é o índice de atividade industrial regional Empire State de janeiro. Mas é amanhã que a apreensão aumenta, com a divulgação do índice de preços ao produtor (PPI), o livro bege e os dados da produção industrial em dezembro. De todo modo, no mercado de juros, operadores não enxergam espaço para alterações expressivas nas apostas feitas para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na próxima semana. Ontem, o indicador de crescimento das vendas no varejo em novembro (+0,56% ante outubro) e, principalmente, as revisões para cima das projeções para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2007 consolidaram a aposta no corte de 0,25 ponto porcentual da taxa básica de juros brasileira, a Selic, como a favorita. Como não estão previstos indicadores de peso até o dia da decisão, no dia 24, profissionais acreditam que essa hipótese seguirá aparecendo como a mais provável nos preços do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.